Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Os verdadeiros artistas

por DBH, em 11.05.11

Tendo sido um dos piores momentos do debate, para o Primeiro-ministro, rapidamente o "Miguel Abrantes" tratou de acusar Paulo Portas de "mistificação" - por causa do gráfico apresentado.

 

Como sempre, várias pessoas seguiram a deixa, desde o Jumento até ao Daniel Oliveira, que fala mesmo em manipulação e gráficos malandros.

 

Vamos, então, ver quem manipula o quê:

 

 

Disse o PM - "a verdade também é que todas as dívidas dos países desenvolvidos subiram" (6:25)

 

Será verdade? - José Sócrates continua com exemplos escolhidos (e apenas esses) e apenas nas datas que lhe convém (2007-2010 e não desde 2005, quando ocupou o cargo de PM).

 

Continua: "por isso, Senhor deputado, olhar para a dívida portuguesa desenquadrando-a daquilo que é a grave crise internacional, a mais grave crise dos últimos 80 anos que estamos a viver, não é sério do ponto de vista da análise económica"

 

 

Responde Paulo Portas (10:12):

 

- "Diz o candidato José Sócrates, a dívida portugesa: mas as outras subiram todas, a nossa subiu porque as outras subiram todas... eu quero mostrar-lhe um pequeno gráfico":

 

 

- "a dívida pública portuguesa subiu, nestes 6 anos, mais de 30 pontos. Agora vejam dos outros países: Espanha subiu 17, a França 15 (...)"

 

Ou seja, Paulo Portas mostra que - ao contrário dos exemplos dados pelo PM (Reino Unido, Irlanda, etc) e de que "todas as dívidas dos países desenvolvidos subiram", houve muitos outros "países desenvolvidos" que não subiram a dívida como Portugal. E mostrou isto "enquadrando" os exemplos que José Sócrates "esqueceu" de referir. E até houve países que, neste período, desceram a dívida.

 

Paulo Portas mostrou como outros "países desenvolvidos" e europeus não tiveram uma subida como a nossa, fazendo contraponto - e em resposta - aos exemplos dados por Sócrates.

 

Claro que os abrantes queriam um gráfico só com os que subiram mais que Portugal, não é? Uns artistas..


comentários

Sem imagem de perfil

De mil a 11.05.2011 às 15:54

Eu bem disse ao "abrantes" para traduzir o artigo do Financial Times, mas os tipos, nem traduziram, nem publicaram o meu comentário. È a Republica socialista e laica...
Imagem de perfil

De Manuel Castelo-Branco a 11.05.2011 às 16:38

Acresce ainda o facto que dois dos países que não estão referenciados - Grécia e Irlanda - são irrelevantes para a demonstração da irresponsabilidade socialista no aumento da divida. Este países tiveram já a intervenção da troika e perderam também a sua independência e capacidade de crescimento nos próximos anos.
Sem imagem de perfil

De scriabin a 11.05.2011 às 22:04

Se a gente acha que os dados são "irrelevantes" para o que queremos, apagam-se, não é? LOL
Sem imagem de perfil

De Lisboeiro a 11.05.2011 às 22:34

Nisto dos graficos o grave é a desonestidade. Quem faz isto não é serio...Já fez o mesmo num debate com Francisco Louça,mas este denunciou-o e escondeu-o de imediato, a judite de sousa insistiu para ele mostrar novamente.Não conheço nenhum vigarista, que não seja esperto e simpatico.Portas não foge à regra.
Sem imagem de perfil

De CMO a 11.05.2011 às 17:38

A esses argumentos acrescentam-se estes


http://supraciliar.blogspot.com/2011/05/vigiar-torre-de-vigia.html
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.05.2011 às 18:09

Meu caro DBH , é uma questão de honestidade intelectual.

Tanto de um como de outro. Se "os Abrantes" como lhe chama (de onde raio vem isso?!) só veêm um lado, não me parece que esteja a fazer melhor figura com este post.

Não só não fazia sentido falar apenas no RU, na Irlanda e na Grécia como não faz sentido excluí-los de uma análise séria.

Mais. No caso daqueles dois senhores (JS e PP) não é a primeira vez que nos brindam com estes truques de vão de escada. Pessoalmente, e como não me tenciono entricheirar pertenço à larga maioria que vai ajudar a decidir estas eleições.

E que se incomoda tanto com os 35% do PS como com os 11% do CDS.

Cumprimentos,

Sem imagem de perfil

De burns a 11.05.2011 às 19:15

não se apoquente que já telefonaram a fatima campos ferreira para preparar a sala para o valter lemos ir mostrar uns gráficos dele
e durante a semana vamos ter de aturar a brigada hooligan encabeçada pelo noob lelo e pelo cidadão capoulas.
pobre partido que chega a um ponto em que tem como reserva moral duas alimárias com o calibre destes idiotas
Sem imagem de perfil

De Portista sempre a 11.05.2011 às 22:53

Burns,estes tipos ao lado de Miguel Relvas,Aguiar Branco,Fernando Ruas,João Jardim,Agostinho Branquinho, Botas,Etc etc, são uns Santos....A escumalha da politica por falta de valores encosta-se ao Psd.Quando é que no PS,podia militar um individuos deste calibre? Nota o deficit percapita na Madeira e bastante superior ao do Continente.Cada madeirense deve muito mais do que os" cubanos" do continente
Sem imagem de perfil

De scriabin a 11.05.2011 às 22:02

Que explicação fantástica. Consegue ser mesmo convincente ao argumentar que se pode manipular um gráfico, tirando partes do mesmo. Vocês são bem mais artistas do que os abrantes, parabéns. 
Sem imagem de perfil

De Manuel a 11.05.2011 às 22:51

Está mal, acho que deviam lá estar os quase 200 paises do mundo...

Mas porque é que o Manuel ainda perde tempo a explicar a coisa mais obvia aos mentirosos e manipuladores dos Abrantes.

A verdade é que a dívida cresceu mais de 30%, uma autentica vergonha.
Sem imagem de perfil

De lisboeiro a 11.05.2011 às 22:55

Porque será que essa divida se agrava num ano? explica se fores honesto...
Sem imagem de perfil

De scriabin a 11.05.2011 às 23:01

Manuel, no gráfico original não estavam duzentos paises, porque..., quem fez o gráfico só lá colocou paises europeus. É um gráfico europeu. Percebeste agora? O Portas, cortou desse gráfico o que lhe interessava. Manipulou. Qualquer professor primário dos antigos, puxaria as orelhas ao menino Portas, por adulterar dados num documento que não lhe pertence. Pior do que ser sonso é ser burro. Tu escolhes o que queres ser, problema teu. A vossa guerra com os abrantes não diz respeito a mais ninguém. Escolham os aldrabões que preferirem, que ninguém tem nada com isso. 
Sem imagem de perfil

De António Cordeiro a 12.05.2011 às 15:38

Ena, tanta gente preocupada com o gráfico do Portas não ter TODOS os países europeus, mas não se preocupam com o facto de Sócrates ter dito que TODOS os paises europeus aumentaram os deficits ao mesmo nivel de Portugal, e afinal o gráfico do Portas mostrar que a maioria aumentou menos que Portugal, e houve mesmo alguns que diminuiram. Agora que o gráfico calou o Sócrates na questão do endividamente , isso calou, e, quem não deve não teme...
Por outro lado convém recordar que o plano anti-crise socretino de 2009 era de 2mil milhões de euros (menos de 1,5% do PIB), em Junho de 2009 a execução era pouco mais de 10% e acabou o ano com uma execução inferior aos 60%; mas o deficit de 2009 foi de 10,1%... Como disse o Louçã o endividmente serviu principalmente para construir estradas (talvez seja esta a estratégia de  Sócrates para defender o estado social...).
Já agora, mas que baile o Sócrates levou nos 2 debates em que participou!
Sem imagem de perfil

De scriabin a 12.05.2011 às 17:12

só um aparte: o gráfico não era do Portas (isto custa a entrar).
Sem imagem de perfil

De jal a 13.05.2011 às 14:20

Esqueceu-se de referir o caso do Chipre, governado por comunistas, onde foi registada a maior diminuição da dívida.

Comentar post