Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




e se prendessemos os juízes?

por Rodrigo Moita de Deus, em 12.05.11

Esta decisão judicial é extraordinária.

Mulher grávida acusa psiquiatra de violação. Tribunal dá como provados os factos mas conclui que ela estava mesmo a pedi-las. Tribunal explica que, tecnicamente, abusar de uma mulher grávida não é bem uma violação. A pobre senhora saiu do tribunal e ainda teve de pagar as custas judiciais. No fim do dia ninguém vai preso. Nem sequer os juízes. Ironia das ironias. O único juíz do colectivo que vota contra a absurda decisão dá pelo nome de Papão.   


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De scriabin a 12.05.2011 às 23:16

"nova corrente de neo-jurismo" e "estado a que isto chegou"?  Prevejo aqui uma corrente indignada deste tipo, de malta que acordou agora. Meus senhores e minhas senhoras (os que têm menos do que trinta anos, os outros não precisam que os elucide), a tese do "ela estava mesmo a pedi-las" e da responsabilização dos homens pela violação ou maus tratos a mulheres, em geral, não é neo nada, nem chegou agora. É coisa antiga. Quantas sentenças e acordãos antigos quereis, com coisas deste tipo? 
Sem imagem de perfil

De A.R. a 12.05.2011 às 23:56

pois eu tenho "apenas" 32 anos... provavelmente só acordei agora...mas tive esperanças que estivesse a dormir e que isto fosse um pesadelo... Diz-me que isto é "normal" na nosso sistema judicial? ...
Se vamos como povo aceitar este tipo de "justiça" e me dizem que não há nada que se possa fazer... prefiro manter a minha sanidade mental e  voltar a dormir...
Sem imagem de perfil

De scriabin a 13.05.2011 às 00:08

Não, não leu em lado nenhum que eu disse que era "normal", nem que eu disse que não há nada que não se possa fazer. Pelo contrário, se voltar a ler, entende que quis dizer que só quem não conhece minimamente a nossa história judiciária pode achar que isto é um sinal dos tempos ou neo jurismo, ou qualquer coisa assim. E certamente aparecerá alguém a dizer que nasceu depois de o Sócrates ganhar as eleições. Como digo noutro lado, este tipo de sentenças era comum há longos anos, não agora. Eu, pelo menos, há muito que não lia assim uma sentença. 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






subscrever feeds