Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O conselheiro Acácio do Sec XXI

por Manuel Castelo-Branco, em 23.05.11

 

 

O conselheiro Marcelo Rebelo de Sousa, é um homem respeitado na democracia Portuguesa.Burgês, bem parecido, culto e com óptima prestação televisiva. Ao contrário do conselheiro Acácio que citava tudo e todos com total banalidade, Marcelo é muito inteligente criativo e divertido - cria frases, conceitos e ideias que são citadas e adoptadas em vários contextos da vida política e social.

 

Patriota convicto, defensor da boa moral Acácio foi nomeado conselheiro por El Rei. Marcelo Rebelo de Sousa ex-líder partidário, militante activo do PSD, é nomeado pelo Presidente da República para Conselheiro do Estado. Junta esse cargo ao de “enternainer” televisivo – uma mistura de analista político com o crítico literário e comentador desportivo. Funções que desempenha com brilhantismo, mas nem sempre com a devida neutralidade e equidistância. Nunca é capaz de despir a sua camisola laranja de militante, de ex-líder ou ex-ministro. E aqui o conselheiro Acácio e o conselheiro de estado Marcelo parecem gémeos siameses, duas faces da mesma moeda.

 

Isto, porque o conselheiro Marcelo, gastou 17 minutos da sua crónica da TVI de dia 15 de Maio, supostamente isenta e distanciada a comentar e denegrir o CDS. Ontem dia 22, Marcelo, mais subtil, não deixa de dar mais uma estocada desmentida pela realidade: “Quando o CDS baixa o PSD sobe. Quando o PS baixa, o BE sobe. E vice-versa.”

Ora, segundo a sondagem da Intercampus para a TVI e Publico acontece precisamente o contrário. Senão vejamos:

 

 

Sondagem Intercampus              
  27-Mar 06-Mai 09-Mai 13-Mai 16-Mai 20-Mai 20-Mai   Amplitude maxima
PSD 42,2 37 36,2 33,9 36,1 35,7 39,6   6,5
PS 32,8 34,8 35,1 36,8 35,4 34,1 33,2   4
CDS 8,7 10,5 10,9 13,4 12,6 12,8 12,1   4,7
CDU 7,9 7,9 7,7 7,4 7,3 7,5 6,6   1,3
BE 7,1 7 6,5 6 6,2 6,8 5,6   1,5
                   
CDS+PSD 50,9 47,5 47,1 47,3 48,7 48,5 51,7  

 4,6

                   
PS+BE 39,9 41,8 41,6 42,8 41,6 40,9 38,8    4,0

 

 

  • A maioria de centro direita tem amplitudes de 4,6%, muito menores que a amplitude existente do PSD (6,5%) e semelhante da do CDS. Ou seja, hoje o CDS conquista votos ao centro esquerda tal como o PSD. A descida do PSD nao significa necessariamente a descida da potencial coligação.
  • A tendência é maioritária é o PS descer e o PSD+CDS subirem e não apenas um dos partidos. Ou seja é o CDS que consegue, em ambiente de queda do PSD, sustentar a votação da suposta coligação.   
  • A votação mais baixa do PSD corresponde à mais alta do CDS, mas também à mais alta do PS. Ou seja, indicia que é o PSD que perde mais votos para o PS.
  • A transferência de votos entre o PS e BE parece ter uma correlação próxima de um. O mesmo não acontece entre o CDS e PSD, facto absolutamente normal entre dois potenciais parceiros de governo.

O conselheiro Acácio não percebia de sondagens, mas o conselheiro Marcelo, até pelo cargo que ocupa, não pode nem deve, induzir o voto dos espectadores da TVI.

Não há almoços grátis nem comentários inocentes, Sr Conselheiro.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Maria Antónia a 24.05.2011 às 14:10

Esqueceu-se de dizer que é um dos melhores juristas da nossa praça, um dos melhores professores de direito das nossas universidades, tendo sido ainda um dos alunos mais brilhantes da FDUL (Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa) de todos os tempos.
Mas, provavelmente para si isto não queira dizer nada.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






subscrever feeds