Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Só para ter a certeza

por Rodrigo Moita de Deus, em 25.05.11
Ora portanto. As sondagens dizem-nos que o ps tem 36 por cento. Trinta e seis. Menos seis decimas do que teve em 2009. Ou seja, o governo corta nos apoios sociais, nos ordenados da função publica, leva o pais a bancarrota e mesmo assim só perde seis decimas? Decimas! No dia seis de junho ou há muito director técnico que tem de ser demitido ou as pessoas merecem mesmo o que aí vem.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Rxc a 25.05.2011 às 11:58

Não é por acaso que o país se encontra nesta situação. Com a populaça que por aqui habita, na maioria chico-espertos e trafulhas que convivem bem com o desrespeito, a baixeza moral, a cunha, o engano e a ilusão fácil, o roubo...etc. Não é, de todo, caso para grande admiração.
Resta à restante população mostrar quem deve definir o futuro do país: nós ou "eles".
Sem imagem de perfil

De anonimo a 25.05.2011 às 12:03

Gosto muito destes 'democratas': "Se o povo não votar como eu quero, ou é corrupto ou é estúpido" ...


Viva a democracia do partido único! Viva a liberdade do pensamento único!
Sem imagem de perfil

De Jose a 25.05.2011 às 12:32

Também não concordo quando criticam a lapidação praticada em certos países, afinal são selvagens só porque gostam de atirar pedras até o acusado morrer?
Pois é, mas criticamos na mesma, e temos o direito a indignar-nos, da mesma forma que temos TODO o direito a ficar indignados quando 30% do povo vota no seu carrasco.
Sem imagem de perfil

De Maria Antónia a 25.05.2011 às 17:17

Caro Anónimo, a democracia já não é o que era ou melhor, começa-se agora a perceber que nunca foi o que parecia ou o que sonharam que fosse.


 
Sem imagem de perfil

De Dr. Javardo a 25.05.2011 às 12:24

Rodrigo, eu também não vou votar no Sr. Eng., mas essa vossa (in casu, tua) arrogância de que quem votar no PS é um mentecapto é típica de alguém que não sabe ouvir e não respeita as opiniões dos outros. Queres tirar o Sócrates do poleiro, então fala no aumento da dívida pública em 80 mil milhões de euros em apenas 6 anos de governação, fala que vamos ser o único país da UE em recessão em 2011, fala que ninguém quer ser Ministro das Finanças do Sócrates, fala que em 2009 ele aumentou 2,9% os ordenados na Função Pública, etc.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 25.05.2011 às 12:28

O Sócrates não precisa de falar muito. Basta assistir ao maluco do Catroga, ao troca-tintas do Nobre e ler estes "posts" arrogantes de "quem não pensa como eu, é estúpido" ou "eu sou esperto, tu és burro". Continuem rapazes! A sério!
Sem imagem de perfil

De Anacoreta Cenobita a 25.05.2011 às 13:05

É verdade que falta aos Portugueses algum sentido critico, alguma cultura de pedir e dar contas.
Pode ser que isso justifique os 30% de intenções de voto no PS.
Como também pode ser por isso que o PSD tem as intenções de voto que tem. É que se os Portugueses votassem de forma informada, se lessem os programas, se quisessem saber quem de facto é Passos Coelho, de onde vem o que fez, a quem obedece, talvez ganhar as eleições fosse uma miragem para o PSD. É que ate agora não nos disseram nada.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.05.2011 às 14:08

Ó Cenobita se queres novidades vai ao continente. E já agora porque não nos dizes quem entronizou o Socas e mandou o Compaio destituir o Santana, sem que houvesse «perturbação nas instituições democráticas»? Olha que foi na mesma reunião. Já agora reunião de? e quem mais lá estava?

Será que os presentes na dita cuja reunião têm medo de perder parte do controle mafioso que exercem sobre o país.

Vai anónimo porque tenho medo da «Formiga Branca»
Sem imagem de perfil

De O Homem D'ontem a 25.05.2011 às 17:53

a questao aqui nao é "o povo é estupido se votar em socrates"
a verdadeira questao é "o povo é estupido". isto é um facto.
bem podem vir ai a malta do bafo de imperial dizer que sou um classista, ou que tenho a mania. nao deixa de ser verdade.
o povo portugues é estupido.imbecil.pouco inteligente.otario.atrasados mentais.
em "Admiravel mundo novo" há uma frase que define portugal na perfeiçao. qualquer coisa como "quando os operarios que mantêm as engrenagens a funcionar têm de se preocupar com a sobrevivencia, deixam de se preocupar com a manutençao da maquina"
durante decadas que andaram a criar atrasados mentais. primeiro, exluindo-os do debate politico, depois dizendo que os problemas sao preocupaçao de gente melhor que eles. a seguir asseguraram que ninguem tem mais dinheiro do que o estritamente necessario á sobrevivencia. e depois deram-lhes passatempos gratuitos mas envenenados. novelas e futebol. reality shows.
acham que um gajo que recebe 800 por mes com uma mulher que ganha o mesmo que ele num emprego sem saida e que ainda tem de criar filhos tem paciencia ou recursos para cultivar o pensar?
esse bacano chega a casa do trabalho estafado, esmagado pelo peso da sua realidade, a unica informaçao a que tem acesso é manipulada, segue o mesmo desporto que seguia no patio da escola primaria, espera pelo jantar, e quando acaba de comer vai dormir enquanto a maria fica a ver novelas como quem vê catalogos de lojas de luxo onde vendem vidas mais desejaveis.
nao teem tempo nem vontade para pensar. escolher ou mudar torna-se impossivel, pois requer pensamento e um possivel arriscar dos poucos recursos que teem.
outros vivem num buraco no fundo dum vale. nem radio apanham. mas um dia alguem lhes mostra uma fotografia da modernidade, seja uma esferografica, um boné ou um comicio. votam que nem carneiros. nao pensam.
foram estupidificados.
isto nao seria um problema se nao fosse-mos um paìs de fracos
Sem imagem de perfil

De anonimo a 25.05.2011 às 18:35

Umas achas para a fogueira:

1) Se isso é verdade, então qual é a razão de ser da democracia?

2) Será que chamaria ao povo de estúpido se votasse em massa em Pedro Passos Coelho (ou no seu candidato de eleição)?

3) Como democrata convicto que sou, acho chocante que alguém escamoteie a vontade popular como "pouco inteligente" ou "pouco informada". Ser democrata implica aceitar derrotas. Implica reconhecer que talvez não tenhamos razão. Implica aceitar diferentes e por vezes contraditórios pontos de vista como igualmente válidos. Aliás, é isto que dá força à democracia, a pluralidade de opiniões e de soluções.

4) Já ponderou que a actual divisão de votos, revela inteligência popular? Quer maior apelo ao consenso, à união de esforços e à unanimidade do que uma divisão equipartida de votos? Ao recusar-se a dar uma maioria clara a uma das partes o povo está a dizer duas coisas: que não confia absolutamente em nenhum dos candidatos/programas; e a forçar o entendimento e a criação de pontes entre os vários pontos de vista.

Pode não concordar com a opinião popular (ou com a minha leitura da opinião popular). Pode achar que a vontade popular é lesiva dos interesses nacionais. Isso é tudo legítimo e saudável. Mas daí a chamar todo o povo de estúpido vai uma grande distância (sobretudo se o único motivo pelo qual acha que é estúpido é porque não vota no seu candidato, ou porque gosta de futebol e telenovela).
Sem imagem de perfil

De O Homem D'ontem a 25.05.2011 às 19:07

1- a democracia só é util se o povo estiver preparado para ela. não só a esmagador maioria dos portugueses nao tem o minimo de educaçao civica, como na verdade, nunca tivemos democracia. "acabou" a ditadura, passamos a poder importar coca-cola e a playboy, culpados nem ve-los e passamos a ser governados por outros senhores feudais. nao houve revoluçao cultural. foi correr com os manos que la estavam e rezar á nossa senhor de fatima que aquela malta saida de associaçoes de bairro soubesse o que estava a fazer. em 40 anos somos geridos em alternancia por 2 partidos com as mesmas politicas, os mesmos metodos e os mesmos resultados. o unico partido que existe em portugal é a maçonaria. o resto, verdes, bloco, comunas...sao o cenario, o elemento que dá credibilidade á farsa de democracia que existe no paìs. o povo, esse é o mesmo da epoca da ditadura. caes que se comem uns aos outros e nao engordam.

2- provavelmente chamar-lhes-ia estupido se votassem uma segunda vez depois de ele fazer merda.por enquanto nao tenho como avaliar. mas para responder ao que me está a perguntar, eu nao estou recenseado. nem da abstençao faço parte. nao contribuo para o circo, e nao discrimino.

3- a vontade popular é o nivelar por baixo. todos sabemos que ha menos genios do que average joes. a estupides pode ser cultivada, a mentalidade de turba controlada. a estupides apenas facilita o controlo. a estupides permite fazer escolhas nao informadas. o meu voto nao devia valer o mesmo que o de um gajo que vota porque lhe dao uma sandes. como posso eu aceitar que "talvez nao tenha razao" quando vejo alguem escolher novamente que apresenta resultdos negtivos? isso seria como assumir que estou louco, e que o que vejo nao é real. mas um louco nao tem consciencia que é louco. nao existem pontos de vista igualmente validos. existem os validos, os invalidos e os igualmente incompletos.

4- nao existe inteligencia popular. o mais proximo disso é instinto. inteligencia é um factor individual. essa visao de consenso...quase lhe perguntava se é religioso.
quando os resultados sao iguais para os dois independentemente do desempenho isto quer dizer que o povo esta quebrado. é como escolher entre matarem-no a si ou á sua mulher. nao querem escolher, é indiferente, sabem que vai ser mau. nao só isso, mas a estupidez fabrica-se, cria-se,cultiva-se. enquanto forem estupidos, independente mente de o quao má seja uma opçao, terá sempre quem a escolha. e como só existe um partido, essa escolha é indiferente.

isto nao se trata de uma opiniao motivada por escolhas ou simpatias politicas. isto é a opiniao de quem vê um campo de silvas onde todos insistem em continuar a jogar á bola, porque lhes custa ter de enfrentar o facto de nao terem dinheiro para comprar um arado.
Sem imagem de perfil

De anonimo a 26.05.2011 às 10:43

A única 'doença' que o Homem D'ontem padece é de um forte défice democrático. Caracteriza-se por uma forte incapacidade de aceitar opiniões alheias. Traduz uma visão narcisista do mundo, do tipo "meu Deus, serei eu a única pessoa inteligente à face da Terra?".

A esta maleita acresce um polvilhado de teórico da conspiração. Este revela uma inquietação típica da adolescência (e de alguns adultos também) do género "isto está tudo mal e só eu é que me apercebo disso" (o que remete novamente para a visão narcisista do mundo, mas também para alguma imaturidade intelectual). Esta patologia traduz uma necessidade de integração num movimento (uma tribo no fundo) de contra-cultura deconstrutiva, uma espécie de PREC, mas de baixa intensidade.

Vai ver que isso lhe passa quando começar a questionar as suas próprias crenças e a perguntar-se se todas as outras pessoas que não concordam consigo não terão alguma razão naquilo que dizem. Quando isso acontecer, quando aceitar que toda a gente pode ter um ponto de vista legítimo, vai perceber porque é que a democracia funciona.

Deixo-lhe com um ditado que pode parecer algo despropositado, mas não é tanto assim:
Os homens de antigamente eram gigantes. Visionários capazes de ver mais longe do que qualquer homem dos nossos dias. Mas se nos pusermos sobre os seus ombros, conseguiremos ver um pouco mais longe, um pouco mais além do que eles alguma vez viram.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.05.2011 às 16:11

A vontade popular é lesiva dos interesses nacionais como escreve. Em Portugal costuma assim ser. É só uma questão de consultar os manuais de história. E sim, a ignorância e a falta de preparação e educação cívica provoca incapacidade de discernimento democrático - a nossa manifesta iliteracia escamoteada estatisticamente  com iniciativas de «Segundas oportunidades» torna a democracia incoerente pois a vontade dos menos avisados - da maioria incapaz de interpretar um texto - prevalece .


 Em Portugal vota-se por clubismo e não por se tentar seguir um projecto ou programa eleitoral de um partido - que diga-se que quando existem são letra morta.  Por isso o PS pode ser realeito apesar de ter destroçado o país - porque ignorantes que somos - acreditamos apenas nos políticos bem falantes. Desde sempre (Salazar incluído).
Sem imagem de perfil

De anonimo a 26.05.2011 às 16:50

Tem assim tanto medo de estar enganado que não é capaz de admitir que os outros, aqueles que discordam de si, têm opiniões legítimas?

Uma coisa que se aprende com a experiência e a vivência democrática é que a maioria das pessoas não são 'sacanas corruptos' ou 'estúpidos iletrados'. Pelo contrário, a grande maioria dos que se interessam pelos processos políticos são pessoas com opiniões, ideias, visões e ânsias legítimas. Pode não concordar com elas, mas isso não implica que sejam estúpidas ou ilegítimas.

A democracia implica aceitar a pluralidade de opiniões. Implica aceitar que não somos donos da verdade. Implica aceitar que nem sempre temos razão. Já parou para ponderar que se calhar os 36% (1/3 da população eleitora) que apoiam José Sócrates tem um motivo perfeitamente legítimo para lhe dar esse apoio? Já ponderou quais poderão ser as causas dessa confiança (para além de "serem estúpidos")? Ser democrata implica fazer este esforço. Implica ver o mundo não só pela nossa perspectiva, mas também pela perspectiva de quem não concorda connosco.

E se em Portugal se votasse por clubite, não haveria votos a ser disputados. Todos os partidos teriam sempre a mesma votação, proporcional apenas à "massa adepta". As oscilações no número de votos em cada eleição e em cada partido desprova essa afirmação.
Sem imagem de perfil

De Krasnodemskyi a 26.05.2011 às 00:17

Talvez seja ingénuo, talvez senil, mas parece-me que o objectivo do post não é criticar o sentido de voto. O objectivo parece ser aludir a um possível \"ajustamento\" nos resultados das sondagens por parte de certas pessoas!
Sem imagem de perfil

De JL a 26.05.2011 às 03:38

Acho que a questão não pode ser posta em termos de "o Rodrigo acha que quem não pensa como ele é mentecapto", mas antes em termos de "quem pensa como o Sócrates, votando por isso nele, é mentecapto". E isso parece-me mais ou menos irrefutável. Entregar novamente o governo a quem nos desgovernou  é sinal de mais do que ingenuidade ou propensão para preferir um "mal familiar" sob a lógica de "pelo menos com este já sabemos com o que contamos". É mesmo sinal de estupidez. Contra Sócrates, votaria até no meu cão.
Sem imagem de perfil

De Dr. Javardo a 26.05.2011 às 14:37

@ O Homem de Ontem: não consigo levar a sério alguém que apelida os outros de ignorantes, incultos, pouco instruídos e estupidos e depois escreve "fosse-mos".
Sem imagem de perfil

De O Homem D'ontem a 26.05.2011 às 20:13


peço desculpa,ainda nao tenho um acessor
Sem imagem de perfil

De anonimo a 27.05.2011 às 09:49

E pelos vistos também não tem um aSSessor ...
Sem imagem de perfil

De O Homem D'ontem a 27.05.2011 às 17:53

para que conste, chama-se sarcasmo
Sem imagem de perfil

De Manuel a 27.05.2011 às 00:24

Com certeza que o povo decide, e em função disso, cada qual escolhe. Se Sócrates for eleito, resta-me pegar na família e escolher outro país, se a maioria se reflecte dessa forma, então não me resta se não tentar educar os meus filhos entre gente que ao menos tenha dignidade. É a minha opção, contra o resto nada.

Comentar post