Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Serviço Público: Nos últimos meses voltámos a recolher os melhores momentos de José Sócrates e do Partido Socialista para fazer o último filme da saga "best of sócrates". Cenas únicas e inesquecíveis dos últimos meses de governação.
O 31 da Armada tem o prazer de apresentar:
Best of Sócrates, o último episódio 

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2011 às 19:42

http://www.youtube.com/watch?v=zKhEw7nD9C4&NR=1
Sem imagem de perfil

De alguém a 31.05.2011 às 22:40

http://www.youtube.com/user/FunktastikPSD#p/u/6/WdpEXX5tKAw
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2011 às 23:25

"José Sócrates tem hoje um imenso prestígio no plano europeu..."

http://www.youtube.com/watch?v=frw4KMrynD0
Sem imagem de perfil

De Pável Rodrigues a 31.05.2011 às 20:17

Sócrates, um cadáver em trânsito, faz-me lembrar o final da Ópera do Malandro:

O cadáver/Do indigente
É evidente/Que morreu
E no entanto/Ele se move
Como prova/O Galileu

A porta é só para sair, a bem ou a mal. Por vezes, não basta o combate das ideias nem a propaganda nem sequer uma oposição firme. Por vezes, é necessário a mal. Por exemplo, na Espanha (em 1939) após três anos de lutas ideológicas e de guerra civil o balanço foi de cerca de milhão e meio de mortos. No Chile (em 1973) já se evitou a tempo algo semelhante. Na actual Venezuela o resultado ainda é uma incógnita, mas não deve acabar bem. Em qualquer dos casos, o poder socialista instalou-se através de eleições democráticas e fundamentou a sua legalidade no resultado eleitoral. Na Alemanha, aliás, os nazis instalaram-se pelo mesmo processo.

A fractura no eleitorado espanhol é mais nítida que entre nós, porquê? Porque, pelo menos, sabem o que não querem. E nós? Em qualquer outro país europeu (e, digamos, “normal”), há muito que um governo como este teria entrado em completo colapso. E teria arrastado na sua queda o partido que o mantém. E não teria, como nós temos, um P.R . a apelar a uma nova “união nacional”.

Somos o elo mais fraco da União Europeia, na condição de não abanarmos a corrente. (A classe política nem sequer arriscou um único referendo.) E continuamos na cauda da Europa, na condição de não abanarmos muito a cauda. Voltámos a ser uma espécie de banco de ensaio como na época do PREC ? Agora, os peritos económicos e financeiros substituíram os militares “revolucionários”; e os “revolucionários” civis, entretanto, tornaram-se deputados, tecnocratas, ou eurocratas. O maior problema é que da “pesada herança” já só resta um eufemismo curioso: o Banco de Portugal.

Ainda podemos escolher o governo que queremos? Talvez. E graças a um eleitorado transigente, e pouco exigente, a consequência imediata dos últimos seis anos de governação (ou serão dez? ou vinte?) é a seguinte: seja qual for o resultado das próximas eleições, já não somos nós a escolher quando é que comemos bife.
Sem imagem de perfil

De Arlindovsky a 31.05.2011 às 20:47

Aleluia.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2011 às 20:54

Se a Justiça funcionasse em Portugal, após as eleições deveria ser iniciado processo em tribunal para que o actual primeiro-ministro pudesse ser julgado por gestão danosa. 
Sem imagem de perfil

De Jorge a 31.05.2011 às 21:22


Sócrates tem agredido Portugal como se os portugueses fossem aquela rapariga que foi pontapeada por duas jovens. Eu, como não quero ser como o cúmplice que viu sem intervir, filmando e colocando as imagens no facebook , não votarei Sócrates e intervenho através da escrita, condenando a sua actuação. Se nenhum português quisesse ser cúmplice, o problema começaria a estar resolvido...
Sem imagem de perfil

De mcdsc a 31.05.2011 às 21:23

está fantástico... só peca por não ter as datas em que cada declaração foi feita...
Sem imagem de perfil

De O Rural a 31.05.2011 às 21:59

Agora é só esperar que não ultrapasse a votação de Manuel Alegre 19%.
Embora alguns Blioquistas estejam com ele por causa dos casamentos destes e que o Sócrates apoiou na assembleia.
Sem imagem de perfil

De Kruzes Kanhoto a 31.05.2011 às 22:11

Sócrates faz-me lembrar uma personagem peculiar: Vale e Azevedo. Nem sei bem porquê, mas vejo ali umas certas parecenças...
Sem imagem de perfil

De LeloDasTShirtsDoPartido a 31.05.2011 às 22:21

Falta o exílio...
Sem imagem de perfil

De Ricardo a 02.06.2011 às 09:52

Vale e Azevedo só enganou os benfiquistas, Sócrates conseguir enganar o país..

 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2011 às 22:23

Hilariante como nunca se viu!


O homem deve ser tontinho, vem agora dizer que o povo não se vai esquecer de o PSD ter chumbado o PEC e ainda que "TODOS OS PORTUGUESES" não vão perdoar nunca o terem trazido o FMI.
Pergunta-se o que significam para ele "TODOS OS PORTUGUESES", são os 32% da tendência de voto no seu partido? É que eu não estou a ver onde estão os tais "TODOS OS PORTUGUESES" aí representados, sinceramente.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2011 às 22:26

Toda essa conversa "política" estúpida desqualifica um homem sem nível nenhum.

Comentar post


Pág. 1/2