Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O enfado do CDS

por Tiago Geraldo, em 06.06.11

Conheço muita gente que nunca tinha votado CDS e que hoje o fez pela primeira vez.

 

As caras de enfado e desgosto que hoje se viram pelo Largo do Caldas e nos vários dirigentes do partido que se pronunciaram sobre os resultados destas eleições são, para esses eleitores, o pior cartão de visita eleitoral do CDS.

 

O CDS teve hoje o seu segundo melhor resultado em 37 anos. Manteve os almejados dois dígitos. Conseguiu a suma proeza de aumentar a percentagem de votos e o número de deputados quando o PSD sobe mais de 10% em relação a 2009. Tem tantos deputados como PCP/PEV e BE juntos. Vai para o Governo. Mas, pelos vistos, não há razões de festejo.

 

O CDS parece sofrer de um síndrome que, à falta de melhor, designarei por “síndrome sportinguista”: não lhe basta o sucesso próprio; para a satisfação ser completa, é também preciso que o PSD fracasse (lembre-se, por comparação, a incontida alegria do CDS nas eleições de 2009).

 

Ora, para além dos 6/7% que tem praticamente garantidos em todas as eleições, os outros 5/6% que desta vez – e em 2009 – votaram CDS são compostos por eleitores de direita pragmáticos que votam no CDS sem a ilusão de que este partido venha alguma vez a ocupar a posição liderante do PSD. Querem apenas que o CDS integre um Governo (naturalmente) liderado pelo PSD e que possa influenciar o seu programa de acção.

 

Os muitos iludidos do CDS que, imersos numa arrogante e caricata mania das grandezas, acham que essa inversão de posições com o PSD é possível e que algum dia fatalmente acontecerá, mais não fazem do que alienar esses tais eleitores que votaram CDS pela primeira vez, que acreditam legitimamente que este foi um bom resultado e que não compreendem a desilusão reinante. Começaram a fazê-lo esta noite.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Imagem de perfil

De Fernando Albino a 06.06.2011 às 01:45

Como sportinguista e militante do CDS posso-te garantir, Tiago, que não havia nenhum desejo de fracasso do PSD. Nenhum. Pelo contrário, era essencial para o CDS, para o país, que o PSD ganhasse e o PS perdesse. O que havia, e há, no CDS é a consciência de que vêm aí momentos muito difíceis e que este não é o momento para euforia nem celebrações. O CDS teve um resultado excelente - o resultado de Lisboa foi absolutamente incrível! O que tu chamas de enfado e desgosto é apenas o reflexo da consciência dos tempos difíceis que aí vêm e das dificuldades que muitos Portugueses enfrentam já hoje. Bom seria que o PSD - e os seus apoiantes, como tu- tivessem igual consciência e realismo e o mesmo decoro e decência perante essas difculdades.
Imagem de perfil

De Tiago Geraldo a 06.06.2011 às 01:59

Fernando, sinto-me eu próprio um pouco "enfadado" por ter de repetir isto, mas as generalizações que os férreos militantes do CDS - como tu - insistem em fazer ("o PSD - e os seus apoiantes, como tu") relevam, para além de alguma (dispensável) arrogância, desacerto no alvo. 


Eu votei CDS nestas eleições e enquanto eleitor do CDS nestas eleições tenho o pleníssimo direito de criticar a reacção do partido esta noite. 


Saberás tão bem como eu que não foi apenas o "reflexo de consciência" e as dificuldades que se aproximam que motivaram os semblantes carregados desta noite, mas sei que - provavelmente por "lealdade orgânica" (belo conceito) - o negarás sempre. 


O que me desgosta é ver muita gente no CDS que, empenhando, e bem, o seu espírito livre em cativar eleitores, tem muita dificuldade em conceder idêntica liberdade na hora de lidar com eleitores mais exigentes e um bocadinho menos alinhados e acríticos.


Dito isto, que venha daí um bom Governo, que é o que todos precisamos.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






subscrever feeds