Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A fazer fé nas notícias que têm circulado por aí, depois de um lamentável cavalgar da onda do partido que está à esquerda do PSD, designadamente na questão da privatização da RTP e de parte da CGD, o CDS começa a justificar o voto de confiança que lhe foi dado nas últimas eleições (desde logo, em Lisboa): se tudo correr como esperado, Fernando Nobre sofrerá a merecidíssima humilhação de não ser eleito Presidente da AR.

 

Depois disso, resta-nos aguardar que cumpra o que prometeu e que saia imediatamente do Parlamento - mas não sem antes repetir o generoso e perene esbracejo de despedida da noite das presidenciais. 

 

Desta vez, espera-se que o adeus seja definitivo.

  


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Manuel Caldeira a 16.06.2011 às 12:18

Nobre é aquilo a que por aqui se chama "a gauche boy " e isso mo torna simpático, confesso. Tanto mais que conforme ideia geral não é um pulha como vai sendo tão habitual em figuras esquerdinas ou dali oriundas. Dito isto, acho que Passos se precipitou um pouco. Tenho visto nele intenção recta, mesmo uma certa ingenuidade filha dum espírito sem badalhoquice ardilosa, como o ex-animal feroz da política. E isso em política à portuguesa, ou mesmo à europeia, paga-se.
 Faço votos para que descalcem este sapatinho de forma positiva.
 Nem Passos nem Nobre merecem the hole in the head, penso eu.

Comentar post