Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Se calhar ficam

por lucianoamaral, em 20.04.07

A entrada de Pina Moura e José Lemos para o Conselho de Administração da Media Capital corresponde à passagem a uma forma superior de luta. Digamos, a um princípio de  "espanholização" do cenário mediático português. Em Espanha vive-se uma espécie de guerra civil mediática permanente, opondo sobretudo o grupo PRISA (que é accionista da Media Capital) ao grupo COPE.

 O PS acaba de adiantar-se, ainda para mais num contexto em que já sobram poucos órgãos de comunicação independentes: a RTP é o que é, a TVI e o resto vão ser o que vão ser, o DN (sabe-se lá porquê) parece, na linha editorial, uma espécie de SNI.

 Perante isto, aqueles grupelhos que passam por partidos da oposição em Portugal ficam-se?

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Dylan T. a 20.04.2007 às 17:20

Caro Luciano,

A RTP será sempre a RTP, vai mudando a gerência como os ventos de indignação sentida. O DN, desse perigoso esquerdista João Marcelino, anda a preocupar, mas há sempre bolos e tolos. Se adicionarmos o Público da agenda de Belmiro e Zé Manel, a SIC e o Expresso de Balsemão, o Sol de Marques Lima e Saraiva Mendes e o CM desse outro perigoso esquerdista, Octávio Ribeiro (o Diabo e o Semanário, um Povo Livre em versão Inimigo Público, não contam), não deixa de ter razão. Restam poucos orgãos de comunicação independentes.

Comentar post