Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Não é a season que é silly: é mesmo ele.

por Nuno Miguel Guedes, em 28.07.11

O papa sociológico da esquerda utópica, o inefável Sousa Santos, concedeu uma entrevista à Visão. Começa-se a ler como uma brisa de Verão - ou seja, nada é relevante - até se chegar à página 41 e depararmo-nos com esta extraordinária frase, como resposta a uma pergunta da jornalista sobre os paises da periferia da Europa:«Podemos ser preguiçosos, podemos não saber como nos governar, mas não matámos 6 milhões de judeus». Não há ironia, metáfora ou alegoria. Só mau gosto e uma profunda estupidez. 


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De pedro oliveira a 28.07.2011 às 17:43

Para agravar a "parvoíce" da resposta, o tal senhor doutor (presumo) está, historicamente, equivocado.
Podemos não ter matado 6 milhões, mas entre aqueles que foram mortos, os que foram «baptizados de pé e os que foram expulsos da península ibérica aquando dos autos da fé promovidos pela inquisição; diria que os ex-judeus peninsulares (sefarditas) não devem ter grandes saudades desta jangada de pedra que fica no calcanhar da europa.  
Sem imagem de perfil

De Sefarditas ou safaditas? a 28.07.2011 às 17:49

As judias ...tá claro

qué como os españoles chamam ao feijão berde

Comentar post