Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Atentos, venerandos e nem por isso obrigados

por Laura Abreu Cravo, em 22.04.07

Damos por terminada a emissão. Agradecemos penhoradamente aos nossos interlocutores em cada uma das candidaturas, irrepreensíveis cavalheiros que nos receberam e facilitaram o nosso trabalho. Uma palavra ao encarregado do hotel  Corinthia cuja eficiência permitiu ultrapassar as complicações logísticas com a fonte de energia do computador. Um especial obrigado a quem nos acompanhou e foi comentando neste Sábado de calor colonial.

 

Retratos do trabalho em Portugal

 

 

 

 LAC/NMG

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De André de Soure Dores a 22.04.2007 às 03:56

Ainda bem que não tropecei no fio do teu portátil no Snob Laura, ainda julgavas, porventura, que era uma encomenda da ERC . :) Corinthia , 5 estrelas! Nem mais! Bom trabalho!
Sem imagem de perfil

De joao de miranda m. a 22.04.2007 às 08:18

Gostei da crónica: bem escrita e muito bem humorada. Parabéns ao 31.
Sem imagem de perfil

De Luis Serpa a 22.04.2007 às 08:50

As condiçõe de trabalho foram, visivelmente, duras - jantar tarde e a más horas, brilhos "aveuglants" em dentes que chegam ao chão (isto é um galicismo - voluntário, mas galicismo), Dry Martinis sem Noilly Pratt (deixaram de importar, Miguel, por isso perguntei) mas os resultados estiveram à altura de tão duras provações.

Quem dera haja eleições depressa outra vez...
Sem imagem de perfil

De Luis Serpa a 22.04.2007 às 09:36

Miguel, desculpa - apesar das inúmeras, e determinadas, tentativas para deixar passar em branco, não consigo. Nós, "les poîlus de la vérité" (isto hoje está a dar-me para a francofilia, vá lá saber-se porquê...), somos assim: incapazes de deixar passar em branco a defesa das grandes causas, ou das pequenas.

Em rigor, citar Bond não é um argumento ad verencundiam: ele sabe do que fala. Mas está cientificamente (se bem que por métodos exclusivamente empíricos) provado que se tu puseres um dry martini num shaker com gelo e (oh horror!), agitares esse shaker, há muito mais moléculas de água que passam para a divina mistura do que se tu, delicadamente, optares pela alternativa. (A escolha do termo "delicadamente" é, claro, puramente ojectiva, e não se destina a introduzir ruido valorativo nesta discussão.)

- Por questões relacionadas com a coerência interna, devo dizer que este comentário tem a ver com as árduas condições de trabalho da equipe do 31 da Armada, e é uma tentativa de as melhorar aquando das próximas eleições no.......... bolas, a bateria foi-se abaixo.
Sem imagem de perfil

De Daniel Marques a 22.04.2007 às 11:17

Gostei bastante da iniciativa, do humor, mas agora preparem-se porque a seguir é Bagdade.

Ah! e... obrigado!
Sem imagem de perfil

De Luis Oliveira a 22.04.2007 às 13:12

A pergunta que para mim fica no ar é qual é que vai ser a percentagem de votos que o CDS- PP vai ter quando o Paulo Portas ceder o cargo.

Quanto é que era da última vez que ele deixou o Caldas?

Quem viver verá.
Sem imagem de perfil

De Reisoca a 23.04.2007 às 10:26

Estiveram muito bem na sala do Corinthia.
Já agora, e com algum "medo", fizeram vídeos ou não!? (Se a resposta for afirmativa, garanto Já que "as meninas das bandeiras" dão mais que os Gatos, pelos Tesourinhos).
Imagem de perfil

De Laura Abreu Cravo a 23.04.2007 às 11:15

Obrigada a todos. De facto, as condições de trabalho foram duríssimas. Os cocktails estavam um piso abaixo da sala de imprensa, o que obrigou a algumas deslocações. Enfim, espera-se que organizações futuras tenham estes pormenores em conta. Desta vez não houve filme, estes dois 31s não são os mais expeditos em matéria de novas tecnologias.

Comentar post