Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mas hoje não estava um óptimo dia para ir à praia?

por Sofia Bragança Buchholz, em 15.10.11

Era capaz de apostar que grande parte dos manifestantes que vejo na televisão, neste momento, não vão ficar sem subsídios de férias e de Natal. Quanto muito, vão sentir nas "jolas" o aumento do IVA na restauração, durante a Queima das Fitas.

Tags:


comentários

Sem imagem de perfil

De republicadosbananas a 15.10.2011 às 19:02

Até pode ser que sim, mas...vocês são capazes de compreender o que é viver com 1000€ ou menos e ter que pagar os serviços todos ao preço que estão, e ainda casa, alimentação, propinas e alojamento, bem como livros e material para filhos no ensino superior (ou mesmo no secundário)...cá para mim, vocês sabem todos tanto da vida, como aqueles que estão na escadaria do parlamento...NADA!
Sem imagem de perfil

De Há quem viva com 500 ou 300 a 15.10.2011 às 20:06

é uma revolta daqueles que vão perder 2 meses
e daqueles que são pré-reformados com filhos e netos
que vão ter que pagar os previlégios dos velhos que lhes dão mesada para poderem ter poder económico

oviamente os argumentus sunt urros, os que passam mais dificuldades não foram para ali porque se fossem , tinha
havido lojas arrombadas e a Fundação Marocas tinha sido saqueada (que vale fartos cobres,só no cobre)

como muitas outras manif’s e revoluções , mais emocional que racional,
revoltamo-nos porque sim…porque podemos
de resto uns milhares de portugueses funcionários e ex-funcionários e uns quantos filhos e netos de um regime que deu mais aos pais e avós do que à 3ª geração de professores no 1º escalão até aos 50 ou de atendedores de telelés com licenciaturas e mestrados que não lhes deram capacidade para tentar superar dificuldades yes we can e como podemos queremos é uma forma simples

porque racionalizar que 10 milhões de portugueses se demitiram de ter um papel na política do estado, desde que o estado lhes desse as prebendas mínimas, racionalizar a demissão de todos os que comeram na gamela pública é impensável

se atingirmos as escadas aqueles políticos que não estão ali, não se riem de nós….pois
Sem imagem de perfil

De republicadosbananas a 16.10.2011 às 14:00

Presumo que esta resposta me estava dirigida, mas bronco como sou, não a consegui entender; assim, das duas uma: se faz questão que eu a entenda, solicitava-lhe que fosse mais claro na exposição do raciocínio.
Se não é sua intenção que eu a entenda, então pode deixar como está. Obrigado.
Sem imagem de perfil

De carlos a 15.10.2011 às 22:07


 Em Portugal, a degradação e a corrupção a que chegou o sistema político desta III República, o seu bloqueamento e a manifesta incapacidade de se auto reformar, leva qualquer cidadão a admitir, a desejar, uma profunda mudança não necessariamente do regime constitucional em que vivemos mas do “sistema” político corrupto institucional erguido pela nossa classe politica ao longo dos últimos anos.
Os partidos transformaram-se em máquinas eleitorais, em partidos de notáveis, de uma nova aristocracia sufragada pelas televisões e sondagens. Neles preside uma lógica aparelhistica, oligárquica de perpetuação política da elite que dirige o partido e o representa no Parlamento. Os partidos esvaziaram-se ideologicamente e assim deixaram de representar os interesses dos cidadãos para passarem a representar somente os interesses das suas clientelas partidárias. A profissionalização dos políticos, a mediocridade no seu recrutamento, a corrupção e o tráfico de influências são a realidade dos dias de hoje. Temos um Estado de partidos, redutor e totalitário quanto à representação dos interesses plurais da sociedade. Temos uma Democracia usurpada por estas elites, com responsabilidades de tomar decisões em nome do Povo, e que o atraiçoam logo que alcançam o poder ao romperem com todas as promessas eleitorais sem que daí advenha a revogação dos seus mandatos.
O falhanço do neoliberalismo económico, do capitalismo selvagem, do mercado sem regras nem controlo, do mercado que se rege por si próprio, do menos Estado, do cidadão considerado não como um ser multifacetado, de múltiplas necessidades, éticas, culturais, sociais, mas tão só como simples consumidor. Numa vivência onde conceitos como a solidariedade, fraternidade, abnegação, tolerância, benevolência, são considerados nefastos, caducos, perturbadores e prejudiciais ao funcionamento normal da sociedade, o mesmo é dizer, ao funcionamento normal do mercado. Para os neoliberais, o Homem é apenas corpo, não é alma, é consumidor e isso basta.

 

Sem imagem de perfil

De Sérgio a 15.10.2011 às 20:00

Aposta que perdes! Vê se mesmo que não sabes mesmo do que falas
Sem imagem de perfil

De Filipe a 15.10.2011 às 20:08

O sócrates dá cabo disto e o PPC é que tem de levar com invasões da assembleia. País de m...
Sem imagem de perfil

De Pedro Miguel a 15.10.2011 às 20:15

Eu também era capaz de apostar que grande parte dos manifestantes não vai ficar sem subsídios de férias e de Natal: quem não tem emprego não recebe subsídio de férias e de Natal.
Sem imagem de perfil

De para o Pedro Miguel a 16.10.2011 às 21:21

Finalmente alguém com 2 dedos de testa, Pedro é isso mesmo, e o corte nas "jolas" ou não também é lá com eles.
Post algo infeliz de alguém a quem provavelmente não lhe fará grande diferença os cortes dos subsídios...
Sem imagem de perfil

De Algarve a 15.10.2011 às 20:29

No privado já trabalham 40 horas por semana que equivale a 200 no publico e estes gajos todos muito inteligentes ainda vão aumentar mais 30 minutos por dia!!Tem que começar uma guerra em Portugal,vão gozar com quem os pariu!!
Sem imagem de perfil

De JLynce a 15.10.2011 às 20:35

Para quando uma manifestação dos pais, (pais à rasca)porque têm de sustentar os filhos calões que não querem trabalhar e hoje estão nessa manifestação armados em heróis???
Sem imagem de perfil

De Jorge a 15.10.2011 às 20:49

Estive lá como curioso. Era gente a perder de vista. Mas estava tudo muito animado, com cara de quem só estava ali a divertir-se, a fazer horas para ir para o Bairro Alto beber umas "jolas".


Sem imagem de perfil

De o jolas a 15.10.2011 às 20:54

Pois não, são aqueles que nunca os tiveram.
Sem imagem de perfil

De Kruzes a 15.10.2011 às 21:53

Como por cá não há praia aproveitei para ir atestar o carro e fazer compras a Badajoz. É também uma forma de mostrar indignação.
Sem imagem de perfil

De Pedro Góis Nogueira a 16.10.2011 às 02:13

É tão giro ser tão acidamente cínico e, sei lá, crápulazinho para o seu semelhante. É tão trendy, e tão bom , não é?
Sem imagem de perfil

De Kruzes a 16.10.2011 às 09:10

Ah pois é! É mesmo giro. E, principalmente, é tão bom pagar na mesma moeda...

Comentar post


Pág. 1/2