Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




outras preocupações

por Rodrigo Moita de Deus, em 16.12.11

Vamos ser honestos. As festas das escolas das criancinhas são tão prejudiciais para a economia como os feriados. E não há historiadores preocupados com o assunto. Durante um ano são pelo menos duas festas. As festas são sempre às três ou às quatro. Obrigando milhares e milhares de portugueses a deixarem o seu posto de trabalho. Duas tardes. Assim. Eu tenho três filhos. O que significa que perco seis tardes por ano em festas de escola. A alternativa é a censura social. Os professores gostam de marcar lanches, lanchinhos, teatros e teatrinhos. Dizem que o convívio é fundamental para o crescimento das crianças. Mas marcar uma festa para as 19:00 (o que seria bastante razoável) está quieto ò preto. Claro que não. Os professores não trabalham para além do seu horário de trabalho. Logo os pais têm que deixar de trabalhar no seu horário de trabalho. Com o 5 de outubro "aqui del rey" com as festinhas das crianças nem um piu. Assim vai o país


comentários

Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 16.12.2011 às 12:45

Tem toda a razão. O mesmo se passa com as reuniões de Pais, que são sempre dentro das horas de serviço dos professores, que não podem ter horários diferenciados, não senhor. Quem tem que se ajustar são os pais das crianças e quem tem que pagar esses tempos, perdidos pelos pais, são os empregadores. Está na lei, embora de forma sub-reptícia…
Sem imagem de perfil

De mil a 16.12.2011 às 13:16

Ãs reuniões não são sempre durante o periodo de trabalho da 9 ás 17 -que nestes tempos já não é o standart. E sabe porque é que isso acontece:
1º os professores não tem de fazer horas não pagas -como qualquer um.  Afinal as finanças não abrem quando nós queremos -é no horário normal de trabalho!

2º tempos houve que as reuniões eram à noite e ao sábado. Sabe que a percentagem de comparência era a mesma? Que havia pais que estavam no café, ao sábado a tomar o pequeno almoço, e não atravessavam a rua para ir à escola à reunião do filho?

Pois é...

Quanto ao Post: concordo -os putos estão na escola para aprender e não para fazer festinhas.  E já agora convém que os papás de teenagers de 15-18 anos os ensinem a setar numa cadeira -os professores queixam-se disso!


 
Sem imagem de perfil

De Dédé a 16.12.2011 às 13:56

Então o Rodrigo meteu-se na chatice de criar 3 crianças? Para a próxima faça outsourcing, ou compre-as já crescidas.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.12.2011 às 18:38


Os professores, sempre os professores. Diz "os professores não trabalham para além do seu horário de trabalho". Mas era suposto? Os médicos ficam nos hospitais à noite só para não termos de faltar ao emprego quando precisamos de uma consulta? E, já agora, por acaso os professores - com a preparação de aulas, correcção de provas, etc - trabalham muito mais do que o estipulado no seu horário de trabalho!
Sem imagem de perfil

De JC a 16.12.2011 às 18:44

Gostaria de saber a vossa opinião sobre as horas que os professores passam em casa a corrigir os testes, porque caso não saibam não são contabilizadas.
Preparar convenientemente aulas para os alunos de acordo com o programa mas de forma a dinamizar as aulas, também é feito em casa e mais uma vez horas não são contabilizadas.
Há muitas outras tarefas como direcção de grupo, direcção de turma e por vezes actividades de cariz social organizadas por professores, também dão trabalho mas não remuneradas.

Não conhecer a profissão e insultar toda uma classe profissional é mesmo muito fácil...Caso não saibam ainda há professores com gosto em leccionar e que dão o melhor dia-a-dia.

E antes demais, vocês queixam-se de terem de sair mais cedo do emprego para irem a uma festa. Agora pensem é nas horas e horas que o tal "professor malandro" que tanto odeiam, passa a trabalhar em casa sem ter tempo de qualidade com o filho/a.

Repito mais uma vez, antes de insultarem e rotularem uma classe profissional, preocupem-se em saber como é a profissão.

Assinado um filho de uma professora com carreira de 40 anos, que pelo caminho até um doutoramento fez...
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 16.12.2011 às 19:40

Reli o que escrevi, e o que escreveram outros, e não vi insultos em lado nenhum.
Não tenho dúvida que os bons professores, sobretudo os mais empenhados, gastam muitas horas dos seus tempos livres a pensar e a trabalhar para bem poderem cumprir com a sua função, que é nobre. Mas, esses, serão os primeiros a entender que uma reunião com os pais dos alunos deveria ser feita fora das horas normais de serviço, por forma a evitar tão elevada perda de horas de trabalho, por parte dos pais – o trabalho destes também deve ser respeitado.
E não falei em trabalhar de borla, falei em horários diferenciados…
Pelo que entendi, o amigo não é professor, mas decidiu vir para aqui defender a classe, em homenagem à sua mãe, que teria sido boa profissional, com tempo para fazer um doutoramento, acumulando com o ensino.
Não falando da sua mãe, que não conheço e que até aceito que tenha sido uma professora competentíssima, fique a saber que sei de casos de maus professores que "compraram" aquele grau académico, apenas para beneficiarem de melhoria no salário, sendo certo que aquele grau não pode ser entendido como garantia de bom desempenho, sobretudo nos primeiros graus de ensino, perfeitamente dispensável.
Além disso,, as pessoas não devem ser avaliadas pelo que sabem, mas pelo que fazem.
Sem imagem de perfil

De Kruzes kanhoto a 16.12.2011 às 19:26

É meter os sacanas dos putos num colégio privado!!
Sem imagem de perfil

De Fernando Martins a 16.12.2011 às 21:15

"Os professores não trabalham para além do seu horário de trabalho."

Caro Rodrigo, meteu a pata na poça outra vez (essa sua aversão à minha profissão, confundindo a árvore com a floresta, ainda lhe vai dar chatices...). No primeiro período tive 12 reuniões e atividades na minha Escola que terminaram depois das 22.00 horas, fora o trabalho que trago para casa e faço durante a noite (duas noites atrás fiz uma maratona de correções de testes e relatórios e dormi quase quatro horas, entre as 02.00 e as 06.00 horas).

E se se fosse meter com outros?
Sem imagem de perfil

De Tó tó a 16.12.2011 às 22:47

Às vezes até tem a sua piadola , mas quando para sermos engraçados precisamos "enterrar" os outros (ainda que sem razão...), mal vai a viola.

Se o clube do coração jogar a meio da tarde, os Rodrigos " simulam uma reunião algures, ou uma dor de dentes terrível.

Lamento que os Rodrigos " não conheçam escolas em que as festas de Natal são ao final do dia...

Lamento que os Rodrigos " não conheçam professores que não podem assistir à festa dos seus próprios filhos por estarem a participar na dos filhos dos Rodrigos "...

Lamento que os Rodrigos " se limitem ao ataque fácil a uma classe que tanto se esforça por ajudar o país...

Lamento que o Moita tanto criticasse quem durante 6 anos "malhou" nos docentes e agora assuma o mesmo papel.

Além da barba e da pavonice ", cada vez tem mais semelhanças com o Pacheco Pereira (embora lhe falte a sua cultura e inteligência).
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.12.2011 às 01:15

Festas na escola? Não vá! Assim os seus filhos não têm que dizer aos outro putos: Olha, aquele é o parvo do meu pai.
Sem imagem de perfil

De Joe Bernard a 17.12.2011 às 11:39

Por acaso, em Cascais, na Escola de Nossa Senhora do Rosário, a festa foi às 19 horas.
Uma excepção que confirma a regra!

Comentar post


Pág. 1/3