Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




três boas razões para apoiar a gabriela canavilhas

por Rodrigo Moita de Deus, em 19.01.12

1. Sou autor. Recebo direitos de autor. Os meus filhos vão receber esses direitos de autor. Quando chegarem à conclusão que ninguém tem de pagar a propriedade inteletual os meus filhos (são três) deixam de receber direitos de autor;

2. Portugal pode produzir sapatos baratos para exportar para a alemanha ou pode dedicar-se a outros setores de actividade com mais valia para o país e para os portugueses. Tecnologia, indústrias culturais e tudo o que é economia criativa. E só há economia criativa se a propriedade inteletual estiver protegida. Se compensar pensar. Quando preferimos proteger os gigas dos fabricantes chineses em vez de garantir que pensar é negócio estamos a ir para o caminho dos sapatos baratos;

3. Somos tão poucos a defender a Gabriela Canavilhas que há fortes possibilidades de ser convidado para jantar.  


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Imagem de perfil

De Palamedes a 19.01.2012 às 20:32

1. Com a actual lei dos direitos de autor, não são apenas os seus filhos que vão beneficiar da sua obra mas também os seu netos, bisnetos, com um bocado de sorte, trinetos e, com mais alguma sorte, até os seus tetranetos. Há 10 anos atrás, um grupo de 12 economistas (entre os quais 4 prémios nobel) opôs-se, sem sucesso, à extensão do prazo anterior. Hoje em dia, relembro que a lei dos direitos de autor confere direitos de até 70 anos após a morte do autor - um prazo foi inchando desde os tempos em que eram uns meros 20 anos depois da publicação (e apenas em casos muito restritos). Mas em que é que este prazo aumenta os incentivos à produção artística?? 


2. "só há economia criativa se a propriedade intelectual estiver protegida" hahaha!!! Uma afirmação muito - muito! - forte; mas como é que justifica isso? Ah, não precisa; crenças dogmáticas dispensam, por definição, justificação. Depois de ter já lido algumas das suas entradas aqui neste espaço, já deu para perceber que não gosta de dar uso aos seus neurónios e como tal vou saltar a argumentação teórica e passar imediatamente para os contra-exemplos que destroiem essa sua afirmação. Goethe, Schiller, Kant, Hegel, Shakespeare, Mozart ou Beethoven conseguiram encontrar incentivos para produzir as suas obras, mesmo sem a existência de direitos de autor. Então...mas a sua proposição dizia que "só há economia criativa, se a propriedade privada intelectual estiver protegida", e segundo demonstrei, é uma proposição falsa! Mas talvez consiga salvar a sua honra como ser capaz de utilizar correctamente os elementos da lógica clássica. Afinal, talvez exista uma razão para que Rodrigo Moita de Deus, o autor, não seja contemporâneo de nenhum dos artistas que mencionei e tenha apenas publicado em pleno séc XXI. Então deixe-me alterar a proposição para o seguinte: "só há criatividade do Rodrigo Moita de Deus, se a propriedade intelectual estiver protegida". Talvez assim a lógica da afirmação resulte seja de facto verdadeira.


3. Nada contra o jantar com a Canavilhas desde que não seja pago com rendas extorquidas à população através de direitos especiais concedidos pelo estado-papá.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






subscrever feeds