Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pacheco Pereira vs Manuel Forjaz

por Manuel Castelo-Branco, em 16.02.12

Nunca alinhei com a ideia de transformar Pacheco Pereira na mascote do 31daArmada. JPP não me fascina, mas também não me cria nenhum tipo de reacção negativa. É um comentador como tantos outros, quiçá mais inteligente e culto que a média dos seus pares, mas ainda assim, alguém que tem uma opinião muito vincada e assertiva sobre muita coisa. Talvez coisas a mais. Como alguém que comenta e não executa, tem a liberdade de manipular, imaginar, criar partir de pressupostos incorrectos para chegar a conclusões erradas.

Já o Manuel Forjaz, é meu amigo há 20 anos. É um homem polémico, extrovertido, dinâmico e empreendedor. É talvez o homem mais criativo que conheci, que mais entusiasmo e motivação consegue transmitir. Geriu negócios em empresas nacionais e multinacionais, criou empresas e desenvolveu ideias. Gerou emprego, criou riqueza. Pelo meio teve desaires, insucessos mas sempre se recompôs.

No jornal Público da semana passada, JPP descobriu uma luta de classes entre “ o descomplexado competitivo” e o “preguiçoso autocentrado.”  imaginou que há uma parte do País que culpa e a outra, ou que tudo é determinado pelo acaso. JPP, mais uma vez enganou-se. Partiu de premissas erradas e chegou a conclusões utópicas.  Num debate sobre o desemprego, resolve tudo com o primado da história sobre as restantes matérias. Sintomática a ilusão!!

 

"A luta de classes" de JPP vs "Os descomplexados productivos" de Manuel Forjaz


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De SLP a 21.09.2012 às 11:50

Este Sr. Forjaz não passa de um burlão e de um viagrista. Há dezenas de pessoas que foram burladas, nos tais 500 empregos indiretos que ele afirmava manter. Dedica-se a abrir e fechar empresas sem pagar aos colaboradores. Não passa de um vigarista, oportunista e burlão. Fechou a ideiateca e reativou a Data Crítica, é a isto que ele se dedica ativa e reativa empresas e depois não paga a quem lhe permite viver desafogadamente, pois as pessoas que contrata não têm vinculo permanente. Não passa de um explorador de trabalho precário.
Sem imagem de perfil

De odete a 27.09.2012 às 16:35

Pois, costumo dizer que cada um fala daquilo que VIU OU OUVIU... e o que eu sei, é que digam o que disserem o SR. é um SENHOR a dar palestras e que, em relação aos comentários pessoais anteriores, pois só tenho a dizer que lhe telefonei na esperança de ter uma pequena chance para ter o privilégio de uma palestra na minha terra, e o Sr. Dr. Manuel Forjaz, foi de uma simpatia e sinceridade extrema e atencioso face à situação que a minha terra se encontra e prontificou-se de imediato a realizar a palestra a um custo muito mas muito simpático. Por isso, só tenho a dizer bem deste grande SENHOR. E estou ansiosa que traga a grande mais valia do seu conhecimento, à população da minha terra.

Odete Almeida
Sem imagem de perfil

De Mariana Almeida a 13.10.2012 às 13:36

Pois, também costumo dizer que cada um fala daquilo que viu e ouviu. E pode ser muito prestável e educado quando é convidado para dar palestras mas fechar a empresa sem pagar as devidas indemnizações aos seus funcionários (apesar de, aparentemente, haver dinheiro para já ter aberto uma nova empresa) e nem mesmo lhes dar a declaração necessária para que possam fazer o requerimento do subsídio de desemprego não é comportamento de um grande (nem pequeno) senhor.
Será, certamente, um excelente orador e inspirador para a população da sua terra; infelizmente, como ser humano tem falhas gritantes.
Sem imagem de perfil

De anonimo a 17.10.2012 às 23:24

Pois é, como todos os bons vigaristas é um bom orador.
Sem imagem de perfil

De pja a 11.12.2012 às 18:05

Pois cara Odete é bom que o ouça mas não lhe siga os conselhos. Porque este SENHOR é um pregador pior que o Bispo Marcelo que se abotoou com milhões dos fieis da sua igreja. Acredite este fez o mesmo com inúmeros incautos como você que foram na cantiga dele e, pode crer, sei bem do que falo.

Comentar post


Pág. 2/2