Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




outras lutas

por Alexandre Borges, em 12.03.12

Suíços recusam aumento de férias de quatro para seis semanas.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Joaquim Amado Lopes a 12.03.2012 às 13:29

"Os que apoiavam a iniciativa argumentavam que um terço da população ativa suíça sofre de ansiedade e de fadiga, uma situação que diminuiria com mais férias."
Provavelmente têm razão e foi por isso que a proposta foi recusada.
A fadiga impediu muita gente de ir votar e a maioria dos que votaram estava tão ansiosa que se enganou e pôs a cruzinha no quadrado errado.


"Defendiam ainda que os trabalhadores deviam beneficiar do aumento da produtividade registado nos últimos anos."
Naturalmente, uma vez aprovado o aumento do tempo de férias, tornar-se-ia um "direito adquirido" que nunca poderia ser retirado. Independentemente de como a produtividade evoluisse ou crises que ocorressem.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





subscrever feeds