Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




outras lutas

por Alexandre Borges, em 12.03.12

Suíços recusam aumento de férias de quatro para seis semanas.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Joaquim Amado Lopes a 12.03.2012 às 13:29

"Os que apoiavam a iniciativa argumentavam que um terço da população ativa suíça sofre de ansiedade e de fadiga, uma situação que diminuiria com mais férias."
Provavelmente têm razão e foi por isso que a proposta foi recusada.
A fadiga impediu muita gente de ir votar e a maioria dos que votaram estava tão ansiosa que se enganou e pôs a cruzinha no quadrado errado.


"Defendiam ainda que os trabalhadores deviam beneficiar do aumento da produtividade registado nos últimos anos."
Naturalmente, uma vez aprovado o aumento do tempo de férias, tornar-se-ia um "direito adquirido" que nunca poderia ser retirado. Independentemente de como a produtividade evoluisse ou crises que ocorressem.

Sem imagem de perfil

De as férias suiças nã pagam horas extra a 12.03.2012 às 14:29

subsídio de refeiçon etc etc etc...inté à férias que nem são pagas ...uma verguenza
Sem imagem de perfil

De mesmu en france esse paraíso do travalho a 12.03.2012 às 14:31


En France, en plus des 30 jours de congés payés, il existe 11 jours fériés prévus dans le Code du travail: le 1er janvier, le lundi de Pâques, le 1er mai, le 8 mai, le jeudi de l'Ascension, le lundi de Pentecôte, le 14 juillet, l'Assomption (15 août), la Toussaint (1er novembre), le 11 novembre, le jour de Noël (25 décembre). Seul le 1er mai est obligatoirement non travaillé et payé. Pour les autres, tout dépend des conventions collectives et des usages applicables dans chaque entreprise. Votre employeur peut tout à fait vous obliger à venir travailler

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





subscrever feeds