Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




e ainda sobrava dinheiro

por Rodrigo Moita de Deus, em 19.04.12

Para protestar contra os cortes orçamentais o diretor do museu de nápoles queimou algumas obras de arte. E ameaça que se os cortes continuarem queimará toda a coleção. O que resolveria o problema dos cortes.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De queimou estátuas...é só lavar a 20.04.2012 às 01:40

se queimou canabis é mais difícil recuperar

todos os organismos são obras de arte
não os queime

se for um Picasso adopte-o....
Sem imagem de perfil

De silva a 20.04.2012 às 11:41



História da corrupção em Portugal.
Vejamos o procedimento de gente corrupta.
Márocas, como administrador da empresa, ao fim de uns anos e sabendo, que o seu lugar está chegando ao fim, começa a pensar o que vai ser de mim, embora com uma reforma choruda, deixo toda uma atividade que me mantinha vivo.
Bom antes que isso aconteça vai preparar, já o caminho, aos seus amigos e familiares, que trabalhando na sombra, asseguram outro rendimento, que o deixa orgulhoso dele mesmo.
Sendo assim, combinado com os seus amigos e familiares, constroem empresas de outsourcing, para quando envolver a empresa num despedimento coletivo, alegando a quebra de lucros, os amigos e familiares estejam, preparados para substituir ilegalmente os trabalhadores despedidos.
Ora quem vai desconfiar de mim, administrador da empresa com cartas dadas a todos os níveis, jogando toda a influência que tem, com os médias, empresários, governos e até gabinetes de advogados, além de todo o corpo gerente da empresa.
Estando tudo isto organizado, com o estado a meu favor mais a justiça, e a empresa a criar já o ambiente de preparação faço o ultimato o DESPEDIMENTO COLETIVO. Desgraço a vida de muita gente, mas tem que ser, pois tenho que levar uma vida de rei, dando tudo aos amigos e familiares, que se lixem os que querem trabalhar sem a minha bênção.
O administrador tem a capacidade de enganar de tal modo que alguns, apercebendo – se mais tarde deste golpe e que no fundo ainda lhes resta um pouco de solidariedade e decência, querem mostrar – se, mas já estão de tal maneira comprometidos com o corrupto, que só lamentam o despedimento coletivo.
NÃO HÁ NINGUÉM EM PORTUGAL QUE NÃO CONHEÇA CASOS DESTES, DESDE GOVERNOS Á POPULAÇÃO EM GERAL, MAS O MAIS GRAVE É ADTIRMOS QUE SE CONTINUE COM ESTE FLAGÊLO NACIONAL QUE ESTÁ A LEVAR O PAÍS PARA A MISÉRIA TOTAL.
Por: luta até á morte
Sem imagem de perfil

De fuivel ativo a 20.04.2012 às 15:23

Faria mais sentido ele cortar as obras de arte. Seria mais irónico.
Sem imagem de perfil

De Octávio dos Santos a 20.04.2012 às 17:54

«Diretor»? «Coleção»?

Continua a reger-se pelo «aborto ortográfico», Rodrigo? Por uma das mais básicas manias republicanas (a alteração regular da maneira de escrever)?

Quando é que vai reaver a vergonha na cara?
Sem imagem de perfil

De Tónio Bolas a 21.04.2012 às 15:27

Rodrigo Moita Deus, menino, de sangue magenta, desculpa as tuas cores, ou são da bandeira da monarquia, ou são misturados com um laranja, da pior especie do novo-riquismo, dos tempos bovinos.

Enxerga-te , réis, o povo de certeza, não irá votar neles, descendência gay , ou dividendos consaguineos gays, nem a GREY, de certeza consentirá a sucessão.

Comentar post