Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




...

por Rodrigo Moita de Deus, em 09.07.12

Há progressão nas carreiras, ao contrário da função pública;

Há preenchimento de vagas, ao contrário da função pública;

Há pleno emprego;

Há dinheiro;

logo...vamos fazer greve.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Respúbica a 09.07.2012 às 17:28

O PPC que corte na despesa, conforme prometeu e não cumpriu e o resto são tretas e aldrabices para portuga ver !
Sem imagem de perfil

De claro que são é raro custar 100 mil/medi a 09.07.2012 às 21:08

excepto aquela meia-dúzia que fez um balúrdio em receitas falsas

aqui só temos um médico que faça mais de 3 milhões por ano em análises e radiologias anexas

O grupo fresenius faz 80 mil por mês a 100 mil por mês na diálise

e o mercado da Merck Sharp dome nos três hospitalários e nos centers de santé do deserto cá da zon'

Custam uns 5 milhões e meio por mesito
hora 5 milhões e meio x 12

mais 1 milhão e meio em horas extraordinárias pagas a pessoal reformado ou fora do sistema púbico

aqui no deserto é só fazer as con tásse

claro que em Lisboa soys mais inconómicus
Sem imagem de perfil

De Dédé a 09.07.2012 às 17:46

Para o Nuno que não quer comentários nos posts dele:

Diplomas bem bonitos
Modernos originais
Compre já numa privada
Não se preocupe mais.
Sem imagem de perfil

De dédé cê tá vivo? o SNS brasuca é bomêmo a 09.07.2012 às 21:12

e o muçum e os outros trapalhões?

diplomas a quilo

de miró a esquilo

cê vá em frente

compre na independente

claro que se tiver uns amigos da con celhia numa púbica
tamém se arranja doutoramentos de teatrólogos gregos
Sem imagem de perfil

De cachate a 09.07.2012 às 19:51

As greves na função pública acabam sempre por afectar os utentes isso já se sabe, mas os médicos já disseram que não vão deixar que os doentes sejam gravemente afectados e garantem os serviços mínimos. O patriotismo deste ministro é para com as seguradoras e os hospitais privados, essa grande nação oligárquica.

O que este ministro está a fazer é a destruir o SNS. Cortes desorganizados a torto e a direito, sem respeito pela saúde dos portugueses. Nunca esteve aberto ao diálogo nos últimos 6 meses e na véspera da greve aparece logo cheio de vontade de dialogar.

Estabelecer um concurso em que o único critério para ganhar o contrato é o médico que levar menos dinheiro é só mais um prego no caixão do SNS.

Desvaloriza-se a qualidade profissional. O mais barato é contratado. Um bom médico com um excelente currículo quer ganhar 800€ por ex... um médico que está a começar a carreira e não tem experiência quase nenhuma chega e diz que recebe 600€. Isto provoca duas coisas...faz com que no SNS a tendência seja para se aglomerarem os médicos incompetentes e abestados, e para os hospitais privados vão os médicos bons e qualificados. Além disso como os contratos são de 1 ano, as equipas médicas deixam de existir. O trabalho médico as decisões de grupo a organização dos serviços são para sempre desordenadas com médicos novos a chegar e a ir todos os anos... Já para não falar que os doentes vão encontrar um médico diferente que não conhece o doente todas as consultas...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.07.2012 às 20:33

exactamente.

PS: este blog lida muito bem com a liberdade de expressão! (viva o sarcasmo)
Sem imagem de perfil

De ó filha a mortalidade aumenta nos fins d a 09.07.2012 às 21:16

semana , nas greves e nas férias dos médicos especialistas

isso faz parte das estatísticas meu....

ah é berdade tamém inda nã compraste uma licenciatura

estatística é assis a modos que uma moda com distribuições de poisson's e outros peixinhos
e desvios padrão ass ó cialis

no seu caso o padrão é bem baixo

por comparação o padrão all gharbio é ouro
ou ouro negro tanto fax

já temos pitroil na costa?
Sem imagem de perfil

De eu tamém evito adoecer nas greves a 09.07.2012 às 21:34

Médico interno
Ano comum
1 indíce 73 € 1. 566,42 21 € 1.510,43

Médico Interno
especialização
2 95 € 1.937,39 28 € 1.870,88
1 90 € 1.835,42 26 € 1.767,89 42 e 40 horas semanais

e a progressão não é má
Sem imagem de perfil

De Amanhã faço greve a 10.07.2012 às 22:32

Pena não saber que os recém-especialistas não recebem pela tabela há anos e há vários até a receber menos do que os médicos internos de ano comum. Os contratos são individuais e não seguem a tabela da função pública. A progressão é negativa quando pensamos bem no assunto.
Sem imagem de perfil

De Algarve a 09.07.2012 às 20:54

Não concordo,ganhar menos não significa que sejam piores.O povo devia seguir o exemplo dos medicos,os que transportam combustiveis fazerem greve e pedirem 3 000euros por mês,os padeiros igual e pedirem 5 000euros(trabalham á noite),as empregadas do Continente 4 000euros,etc etc.Então por serem medicos teem que ganhar mais que o presidente da republica?O ministro devia divulgar o ordenado dos medicos liquido com subsidios e horas para que o povo tenha uma ideia bem concreta da humildade dessa classe.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.07.2012 às 21:07

Fala do que não sabe, mas ainda assim fala como um sabichão. Na função pública um médico de topo ganha à volta dos 1500-2000€. Vá estudar e pode ser que um dia alguém lhe pague a estupidez e a ronha. Nos EUA, Alemanha, Inglaterra o salário de um médico está entre os 10000-30000€. Sabe porquê? São países desenvolvidos onde o mérito e o esforço é reconhecido. Aqui quem salva a vida dos doentes ganha uma miséria comparado com políticos e gestores que ganham fortunas
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.07.2012 às 21:13

Se não acredita nos médicos quando tiver uma pneumonia ou um cancro vá à bruxa curar-se...acredite que acaba com os seus problemas rapidinho.
Sem imagem de perfil

De na função púbica o director do Garcia da a 09.07.2012 às 21:21

Horta (director clínico ) ganhava com horas extra e restantes 10 mil contos mensais em 2001

se diminuiu para 2012 atão lamento muite

um médico do SNS pode ter no início de carreira

15.ª
94
€ 5.269,35
14.ª 92 € 5.166,36
13.ª 90 € 5063,38
12.ª 87 € 4.908,90
11ª 84 € 4.754,43
Médico
Especialista
10.ª 81 € 4.599,95
9.ª 78 € 4.445,48
8.ª 75 € 4.291,00
7.ª 71 € 4.085,03
6.ª 67 € 3.879,06
5.ª 63 € 3.673,10
4.ª 56 € 3.467,13
3.ª 53 € 3.261,16
2.ª 50 € 3.055,19
1.ª 47 € 2.849,22

boçê é muy burro é mais fácil pôr a lista de 2009

a de 2012 nã tenho....
Sem imagem de perfil

De o ordenado base bruto de 1522 é a 09.07.2012 às 21:25

para muito poucos moço...pintocostista


Os profissionais mais bem pagos nos hospitais EPE ganham num ano entre 255 mil euros e 744 mil euros, segundo valores detetados por ...




Não votem mais neles, pensem...: Médicos sem fronteiras... No salário!





apodrecetuga.blogspot.com/.../medico-de-hospital-publico-ganhou-1...


27 out. 2011 – "Médico de hospital público ganhou 10 vezes mais o seu salário base. ... mil euros, apesar de a remuneração base mensal ser de 5.523 euros.

até uma chefe de enfermeiras ganha mais de 1500 mensais pô

nos EUA veja o http://mdsalaries.blogspot.pt/

Sem imagem de perfil

De ou seja há vencimentos de 15000 por mês a 09.07.2012 às 21:30

nos EUA e têm vindo a descer nalgumas áreas desde 2004

agora compare-se o nº de horas a competição

o nº de médicos no desemprego

Bibliografia

1. American Association of Thoracic Surgery. http://aats.org/MSSR/
2. American Board of Thoracic Surgery. https://www.abts.org/sections/Definition_of_Thorac/index.aspx
3. The Texas Tribune http://www.texastribune.org/library/data/government-employee-salaries/the-university-of-texas-southwestern-medical-cente/departments/cardio-thoracic-surgery/11865/
4.Cooke DT, Kerendi F, Mettler BA et al.Update on cardiothoracic surgery resident job opportunities.Ann Thorac Surg. 2010 Jun;89(6):1853-8; discussion 1858-9.[Pubmed]
5.Salazar JD, Lee R, Wheatley GH 3rd, Doty JR.Are there enough jobs in cardiothoracic surgery? The thoracic surgery residents association job placement survey for finishing residents. Ann Thorac Surg. 2004 Nov;78(5):1523-7.[Pubmed]
Posted by Syed K.Haque, M.D.

ah o salazar é hispânico...
Sem imagem de perfil

De Maria Filomena a 10.07.2012 às 10:25

Pois tem muita razão. Há médicos que só fazem urgências e cada urgência dá.lhes mais de 500€,
Estão malpagos e por isso nas urgências quando há futebol, como foi o caso do último mundial, os doentes que se lixem; outras vezes é um colega que faz anos e eles foram partir o bolo e beber champanhe, e os doentes que se lixem.
estes dois casos passaram-se ainda há bem pouco tempo do Hospital do Barlavento.
Quem é que fala do que não sabe?
Greve despropositada. Também bem sabemos que o sindicato só defende os maus médicos e as más práticas. Procure.se o que disseram sobre o m+edico que violava as doentes no consultóriio.
Uma vergonha
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.07.2012 às 11:59

então os senhores médicos acusam o ministro de andar a vender a saúde aos privados e depois vêm dar o exemplo dos salários que se pagam nos EUA, precisamente o país que assenta o seu serviço de saúde na prestação privada?! Quer ganhar isso vá para o privado, ninguém o proíbe e muitos colegas seus o fizeram. Mas os salários chorudos são pagos pelos privados em função do mérito. Se quer servir a causa pública resigne-se às tabelas salariais. Olhe que os magistrados e os diplomatas também têm vencimentos modestos e ainda estão sujeitos à exclusividade nas funções.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.07.2012 às 02:12

Você é pouco aldrabão.

Um médico pode aspirar a ganhar, no final da sua vida activa e depois de múltiplos exames e provas públicas, o que um Senhor Juiz ou um Senhor Magistrado ganham ao fim de 7 anos de exercício numa Tribunal ou Comarca de 1ª Instância. Um médico nunca chegará ao vencimento de um Professor Universitário. De entre os licenciados no Estado, o médico é o funcionário com maior e mais exigente diferenciação académica e, em escala comparativa, com menor vencimento.

A verdade é que os médicos estão situados na TRU (Tabela Remuneratória Única com 115 posições) da Função Pública entre os patamares 28 e 52, isto é, no terço inferior da Tabela, quando são os que têm mais formação e mais exigência.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.07.2012 às 03:41

Desculpe...mas na função pública não devia ser pelo mérito que se estratifica o ordenado??

Os médicos estão situados na TRU (Tabela Remuneratória Única com 115 posições) da Função Pública entre os patamares 28 e 52, isto é, no terço inferior da Tabela, quando são os que têm mais formação e mais exigência.

Vou-lhe explicar o que acontece...os melhores médicos portugueses estão a ir trabalhar para fora. Exactamente porque estudaram e trabalharam 15 anos para ver o seu mérito reconhecido, e não é a ganhar cada vez menos que isso vai acontecer. Fique sabendo que os médicos mais revoltados são os que escolheram contrato de exclusividade com o SNS.

Os políticos, os gestores e administradores ganham fortunas. O Relvas nem um ano estudou. Um médico tira um curso de 6 anos, mais internato geral, mais 5 anos de especialidade e acha que devem ficar calados e receber como trabalhadores indiferenciados?

Acredite...os melhores médicos portugueses e que são novos, estão todos a ir para fora. Nos EUA, Alemanha, Inglaterra, Dinamarca ganha-se 10 vezes mais percebe...

E se um médico quer trabalhar no SNS é óbvio que tem de lutar pelos seus direitos. E a greve é um direito.
Sem imagem de perfil

De Manuel Gomes a 10.07.2012 às 20:17

Um oftalmologista ganha, em média, em Portugal, 80.000 euros por mês
Há um oftalmologista que conheço em que as segundas feiras é dia de Lasik...(Operações laser aos olhos)
Faz cerca de 8 operações. 8 operações x 2000 euros = 16000 euros.
Num dia ganha 16000 euros...Isso é justo?
A greve é por ainda haver médicos sem avião a jacto privado.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.07.2012 às 02:10

ahahah claro que sim. A ganhar isso o seu oftalmologista que emigre, porque se em Portugal o SNS lhe paga isso, nos EUA já tinha dinheiro para comprar uma ou duas ilhas privadas.

Mas mais importante...vá ao oftalmologista que não anda a ver bem. E se tiver cataratas opera-as antes numa clínica privada a esse preço paga as suas cataratas e as da minha avó. Desculpe se calhar não devia estar a aldrabá-lo. A minha avó não tem.
Sem imagem de perfil

De p D s a 10.07.2012 às 10:03

ó Rodrigo, tu é que já fazias uma greve ! não ?

ias ver que o pessoal todo apoiava...! ia ser a greve mais unanime de sempre!
Sem imagem de perfil

De Médico a 10.07.2012 às 22:19

Não há progressão nas carreiras.
Não há preenchimento de vagas.
Não há pleno emprego.
Não há dinheiro.
Logo, vamos fazer greve.

Capische?
Sem imagem de perfil

De Uma pergunta curiosa, como todas... a 11.07.2012 às 20:33

Quantas pessoas terão morrido hoje por causa da greve?
Sem imagem de perfil

De Ai querem falar de honorários? a 11.07.2012 às 20:43

Há cerca de um mês, fui mostrar ao meu cardiologista o resultado de uma prova de esforço. Esperei 30 minutos na sala de espera antes de entrar para o gabinete do ocupado doutor. Se disser que o senhor demorou mais de cinco minutos em cumprimentos e a olhar para o exame, estou a mentir. No final, paguei a simpática quantia de 80 euros, já para não falar nas atribulações da deslocação.
Sem imagem de perfil

De cachate a 11.07.2012 às 20:50

A greve dos médicos é pelo SNS, se decidiu ir a um cardiologista privado, felicito-o pelo luxo, mas a maioria dos portugueses não tem dinheiro para isso. Por isso este seu dramático relato é apenas demagógico e inútil. Um conselho, cardiologistas privados há muitos...escolha um melhor. Com o que lhe paga merecia um Dr. House.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.07.2012 às 20:54

E que culpa tem um médico do SNS nisso? O que o seu médico privado faz é porque você deixa. Quer com essa historinha da treta enganar quem homem? Burro é você no privado pode escolher qualquer médico do seu agrado.
Sem imagem de perfil

De h. a 12.07.2012 às 13:50

Não pretendo aqui entrar em discussões ideológicas. Nem jurídicas, embora seja formado em Direito. Apenas descrever o meu caso pessoal.

Sou funcionário público, mais concretamente professor universitário, carreira em que entrei em 2007.
Não por cunha, refira-se, mas por mérito: acabei o meu curso com uma excelente média, fruto do meu trabalho e estudo.

- Nunca tive um contrato superior a 2 anos; findo o qual a minha entidade patronal pode livremente prescindir dos meus serviços, sem eu ter direito a qualquer indemnização. Um privado com contrato por tempo indeterminado tem, objectivamente, mais segurança laboral que eu. Acrescento, contudo, que só tenho bem a dizer da minha entidade patronal, que sempre me tratou, bem como aos meus colegas, com todo o respeito.

- Não tenho direito à ADSE.

- Não posso ser promovido: entreguei o meu doutoramento, mas não posso ( por imposição legal ) subir no escalão . No privado isto acontece? Há alguma norma que proíba nos sector privado uma promoção dos melhores? No público existe.

- Recebo 1300 euros mensais; não é mau, bem sei, mas exerço uma profissão altamente qualificada ( com exigência de realização de doutoramento). Será excessivo? Uns dirão que sim, o que aceito. Mas, com as minhas qualificações, poderia ganhar mais no privado. Perguntam: porque não o fazes, rapaz? Estás preso às mordomias? Não: simplesmente gosto imenso do que faço. E não me parece que o país deva, ou possa prescindir, da formação de futuros bons profissionais. Que só é possível com bons professores.
- Nunca me senti, nem admito que me façam sentir, um parasita de impostos alheios. Exerço uma actividade socialmente útil, com toda a dedicação de que sou capaz.



Os cortes sucessivamente decretados ao meu rendimento reduziram-no em 20%, no curto espaço de dois anos.

Significa isto que não reconheço a necessidade de restrições orçamentais, que se reflictam no meu ordenado? Não! Tenho-as como ( temporalmente ) imprescindíveis. Nestes moldes ou nesta medida ( 20%, repito) ? Até posso assumir que sim, embora me pareça excessivo.

Mas, para aceitar estas restrições não posso olhar para o lado e ver que cidadãos que ganham 5 mil euros por mês ( que os há, meus caros, que os há...) que não são chamados a contribuir ( também ) para o enorme esforço que todos temos que realizar. Sectores existem em que não houve qualquer diminuição nas remunerações. Note-se: nada tenho contra essas pessoas; certamente que fazem por merecer tais vencimentos. Mas quem pode contribuir, deve – tem que – faze-lo. Tão cristalino como isso. Equidade fiscal implica que quem mais recebe mais contribui.

Mas, sobretudo, estou cansado de toda esta campanha ideológica, que nos ( FP,s ) descreve como privilegiados, destruidores de riqueza nacional, uma despesa inútil que os privados têm que sustentar, uma “ gordura”.

Pergunto: é realmente a hora de incitar uma luta entre portugueses que trabalham para o Estado e portugueses que trabalham fora dele? É com este espírito que vamos conseguir?

Comentar post