Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




o corporativismo

por Rodrigo Moita de Deus, em 17.07.12

Primeiro foi o ministério da saúde. Acusado de contratar enfermeiros e médicos a preços demasiadamente baixos. Na prática, acusado de contratar o mais barato. Depois foram os arquitetos e os engenheiros a queixarem-se. Lá vieram os bastonários lembrar que “há mínimos”. A verdade é que há médicos, enfermeiros, engenheiros e arquitetos a querer trabalhar. A precisar de trabalhar. Independentemente dos juízos que podemos fazer sobre os valores oferecidos a verdade é que são aceites. Podem as ordens manter artificialmente as remunerações? Têm o direito de privar “colegas” de um salário?


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Xarope d'Alho a 17.07.2012 às 19:23

Ó Moita, quanto te pagamos nós à hora?
Imagem de perfil

De Gustavo a 17.07.2012 às 19:24

A seriedade com que as ordens são regidas é exactamente a mesma que afere aos sindicatos
Sem imagem de perfil

De Samuel a 17.07.2012 às 19:26

Parto do princípio de que não tem noção de quão asqueroso é esse argumento...
Sem imagem de perfil

De Nelson Mendes a 17.07.2012 às 21:18

É raro, mas tenho que concordar com o Samuel. Os Sindicatos, sejam eles quais forem, são instituições muito mais respeitáveis e limpas do que a Ordem dos Médicos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.07.2012 às 19:51

Há empresas que não têm realmente a possibilidade de pagar grandes ordenados, de tão carregadas de impostos/fiscalizações da treta que estão, mas conheço alguns engenheiros a ganhar o ordenado mínimo em empresas (muitas refugiadas em fundações e cia) que têm dezenas ou centenas de milhões de euros de lucro. Nesse caso não se trata de artificialidade, trata-se simplesmente de oportunismo. É certo que a finalidade de uma empresa é obter lucro, mas a custo? Eu sei que a malta aqui do blogue quer o rei de volta, não estamos na idade média. Parecendo que não, a plebe adquiriu alguns direitos nos últimos séculos.
Imagem de perfil

De Gustavo a 17.07.2012 às 21:27

O Engenheiro mal remunerado numa empresa com lucros astronómicos é livre de fazer as malas e mudar de empresa ou fundar a sua própria companhia. Se o seu papel na prévia estrutura for assim tão fundamental, os lucros vão decair e ele será contratado novamente com um salário mais apelativo
Sem imagem de perfil

De xxi a 17.07.2012 às 20:28

Na minha opinião, a bordoada está quase a chegar
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.07.2012 às 20:35

afinal falta menos...
Sem imagem de perfil

De Nelson Mendes a 17.07.2012 às 21:26

Nos Estados Unidos da América, o CV da American Medical Assoiation fala por si.
Quando o próprio Milton Friedman, os acusou de fincionarem como uma corporação medieval, mesmo depois de logo nos anos 30 ter sido condenada por não respeitar as regras de livre-concorrência e nõ permitir que os preços baixassem.
Sem imagem de perfil

De insider a 17.07.2012 às 21:38

colegas de uma mulher-a-dias... pelos vistos...
Imagem de perfil

De jojoratazana a 17.07.2012 às 22:16

Post digno de um facilitador de negócios.
Está tudo dito.
Mas gente desta a mim dá-me asco.
Sem imagem de perfil

De manuel a 17.07.2012 às 22:26

Rodrigo os teus posts ultimamente são do mais azeitola possível.
Na tua visão limitada(percebe-se bem o porque desse nevoeiro!!), as medidas do governo são sempre boas e as pessoas que estão contra estas medidas são sempre os palermas que não querem trabalhar!!
2 dedos de testa rapaz!!!
Sem imagem de perfil

De Algarve a 17.07.2012 às 22:31

Se fazem excepções para os enfermeiros,medicos,etc teem que fazer excepções para todos os outros.Agora uma empregada de limpeza pode ser contratada por 500 euros e simplesmente dizer que esse valor não é digno e acabarem por pagar 1500euros.1500 tambem não é digno,isso ganha um medico em dois dias,vão ter que lhe pagar 3000 euros,tambem não é,isso ganha um maquinista de comboio,teem que lhe pagar 6000euros,tambem não é digno,isso ganha um administrador reles de uma empresa publica,12 000euros,tambem não,isso ganha um miseravel empregado da NAV e nem 5 horas trabalha por dia,24 000 talvez seja mais ou menos...

Comentar post


Pág. 1/2