Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




No seu perfil público, Vasco Cordeiro afirma ter apresentado a dissertação “Breves Notas sobre a Deontologia Profissional do Advogado” aquando da conclusão do seu estágio profissional. Não fiquei impressionado com esta revelação. Quem conhece a profissão sabe que esta dissertação era parte obrigatória do estágio: a notícia da sua mera apresentação nada diz acerca dos méritos académicos ou técnicos do  candidato do PS.

Não conheço mais ninguém que alguma vez se lembrasse de frisar que a tinha feito ou que isso, por si só, fosse um elemento curricular digno de nota. Salvo o muito respeito pela advocacia e pelo seu exercício, é o mesmo que dizer que um dia se escreveu uma redacção sobre as férias de Verão na escola primária.  

 

Já agora, alguém me explica o que isto significa?

"Em 2008, foi o responsável pela pasta da Economia no executivo regional, funções que deixou em Abril de 2012, a seu pedido, alegando os valores da Responsabilidade, da Verdade e da Confiança pelos quais sempre conduziu a sua actividade política e que norteiam a sua candidatura a Presidente do Governo."

 

Há por aí mais alguém que queira deixar funções alegando valores? Para quem precise, aqui ficam alguns exemplos:

 

Francisco deixou as funções de pasteleiro, a seu pedido, alegando os valores da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade...

Isabel deixou as funções de médica, a seu pedido, alegando os valores da Proporcionalidade, da Adequação e da Subsidiariedade...

Manuel deixou as funções de professor, a seu pedido, alegando os valores da Fé, da Esperança e da Caridade...

Madalena deixou as funções de auxiliar de acção educativa, a seu pedido, alegando os valores da Justiça, da Temperança e da Razoabilidade...

 

Não quer dizer nada. Mas que é bonito, lá isso é.