Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A tabuada dos 9

por Augusto Moita de Deus, em 14.05.17

Isto é de uma satisfação matemática enorme:

2 x 9 = 18 títulos: Sporting.
3 x 9 = 27 títulos: FC Porto.
4 x 9 = 36 títulos: Benfica.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De A. Ramos a 19.05.2017 às 00:26

Como a questionar e a questionar-se... - faz bem? Mas não tente a via revisionista ou negacionista. Se quiser pode até descobrir quando é que o markting do Benfica começou a rever a história do futebol nacional.
A Federação Portuguesa de Futebol lançou o Campeonato de Portugal para determinar o campeão de futebol, nos mesmos moldes de outros países da época. E assim fez durante anos. E manteve esses títulos como tal nos seus anais. Recentemente o Benfica achou que não dava jeito (tal como a data da sua fundação, que tinha estado errada mais de 90 anos...) e tentou retirar os títulos desses campeonatos (e acrescentar a brincadeira dos quatros anos iniciais da I Liga). Ora nesses anos há campeões, como se pode ver nos registos oficiais da Federação, nos jornais e até em filmes da época. Não se gosta da história e reescreve-se? Não me parece...
Imagem de perfil

De Augusto Moita de Deus a 19.05.2017 às 00:54

Mas qual via revisionista ou negacionista? Esses são termos usados noutros contextos históricos bem mais graves. Acho que não devia misturar as coisas. Neste caso trata-se apenas de futebol.

Nesta discussão tentei evitar fazer ataques a indivíduos ou clubes. Tenho mantido a discussão meramente no campo académico, dando argumentos relacionados com o tipo de torneios habituais no desporto de origem britânica, denominado de Football Association, em que as regras mais importantes do jogo se originaram nesse país. Contudo, o sr. na sua argumentação em vários comentários acima permanentemente ataca o Benfica em tom de suspeição e crispação, o que não me parece correcto.

Fala repetidamente da suposta mudança de data da fundação do clube como se isso fosse relevante para a questão em apreço. Como se a data de fundação de algo fosse sempre historicamente consensual. Mesmo num tema tão ilustre como a fundação da nacionalidade portuguesa, uns apontam a declaração de D. Afonso Henriques após a batalha de Ourique (1139), outros falam do Tratado de Zamora (1143) e outros ainda falam do ano do reconhecimento papal (1179). No caso do Benfica, não sei ao que se refere, se tem a ver com a fundação dum dos clubes que se uniram para dar o SLB, se a data dessa união. Não conheço em detalhe a história do Benfica. Mas se se analisa a história dum clube e se decide olhar melhor para as datas históricas do mesmo (se se referirem a eventos históricos, verdadeiros), qual o problema? No caso da fundação de Portugal, as datas acima referem-se a um Portugal bem menor que o Portugal de hoje. Será que não contam por ser menos de metade de Portugal contemporâneo? Claro que não.

Termino com uma referência a um artigo publicado no DN em Outubro de 2016, que termina assim:

"E é perante esta explicação que os historiadores contactados pelo DN assumem que, na realidade, o Sporting tem 18 títulos de campeão, o Benfica 35, o FC Porto 27, enquanto Belenenses e Boavista têm um cada. Curioso é que ao contrário do site leonino, que soma 22 títulos, o Almanaque do Leão, publicado em junho de 2015, da autoria do jornalista Rui Miguel Tovar, conta 18 campeonatos, sendo um livro aprovado e licenciado pelo Sporting - que não reagiu ao DN sobre a opinião dos dois historidaores. "Este revisionismo da história é perigoso, porque cada um faz em proveito próprio. Não é assim que se faz a história", remata Francisco Pinheiro."

http://www.dn.pt/desporto/sporting/interior/historiadores-garantem-que-o-sporting-tem-18-titulos-de-campeao-5431686.html
Sem imagem de perfil

De A. Ramos a 19.05.2017 às 14:31

http://comquemsporting.blogspot.pt/2016/09/o-problema-dos-4-campeonatos-de.html
Sem imagem de perfil

De A. Ramos a 19.05.2017 às 14:35

Depois de leres o texto anterior podes falar - até lá não tenho mais nada a dizer...
Imagem de perfil

De Augusto Moita de Deus a 19.05.2017 às 15:01

Caro sr. Ramos, antes mesmo de colocar este seu 2º comentário, estava precisamente para lhe responder ao post em que insere um link, para lhe dizer que irei ler esse longo artigo e analisar os respectivos argumentos. Do que vi ao passar os olhos na diagonal, vejo pouquíssimas referências à questão fulcral que é a diferença entre o formato Liga e o formato Taça, nomeadamente algo que é bem vincado na tradição britânica. Aliás menciona-se a Bundesliga, mas omite-se o facto de Alemanha ser como país uma Federação, portanto pelo que sei havia campeão da Baviera e de outros estados (Westfalia? etc) determinados em modo Liga e depois só no fim havia uma competição final em modo Taça. Alias, não me choca o modelo misto, ie uma fase de Todos com Todos e depois um playoff final (modelo americano).

Mas um campeão nacional de futebol NÃO PODE SER DETERMINADO unicamente em formato knock-out. Aliás, por alguma razão a Liga dos Campeões abandonou esse formato e passou a adoptar o formato de fase de grupos. O mesmo para os campeonatos europeu e mundial de selecções. Há sempre uma fase de grupos, mesmo que com um número pequeno de equipas, para assim se validar o campeão. Se for tudo em modo knock-out, a melhor equipa pode ser eliminada na 1a eliminatória, se jogar com a 2a ou 3a ou 4a melhor equipa, devido a um sorteio, por exemplo na circunstância de azar de essa 1a equipa ter os seus 3 melhores jogadores fortuitamente lesionados nessa semana.

Por isso quando uma Taça é ganha por equipas como o Moreirense ou o Beira-Mar, dá-se todo o mérito, mas ninguém vai daí deduzir que aquela é mesmo a melhor equipa desse país.

Quanto ao que escreve acima, pode comentar aqui o que quiser e quando quiser. Agradeço é que mantenha a discussão em tom objectivo, sem ataques a indivíduos ou clubes e já agora, como não o conheço, agradeço que não me trate por "tu", pois isso poderia dar uma impressão aos leitores do blog que haveria conhecimento mútuo entre o sr. e eu, algo que de facto não há.
Sem imagem de perfil

De A. Ramos a 20.05.2017 às 22:50

Antes de mais, as minhas desculpas pelo tratamento por tu - embora, inter pares, pensei que passasse. Quanto ao resto, cá voltarei para rebater , ponto por ponto, os seus erros e os erros deste post, quando tiver algum tempo...

Comentar post